19 de mar de 2008

Mais um dia duro de trabalho


Hoje fiquei o dia todo fora do escritório prestando suporte a clientes da empresa onde eu trabalho, fui direto para o cliente que eu deveria atender durante a manhã e depois de atender o último cliente da tarde fui direto pra faculdade.


Adoro o meu trabalho, acho que tenho muito sorte em trabalhar na empresa onde estou, mas as vezes acabo me sentindo meio desvalorizado pelos clientes para quem presto suporte. Isso não é totalmente culpa deles mas da mentalidade imposta principalmente no Brasil de que software é coisa que deve ser de graça ou pirateado.


Trabalho na área de automação comercial, o que me coloca diariamente em contato com pessoas que não tem muito entendimento de informática. Pra alguns trabalhar desenvolvendo programas de computador é uma profissão menor; muitas vezes me colocam no mesmo nível daquele primo, sobrinho, filho da vizinha, que fez um cursinho profissionalizante de operador de micro-computador, dando inclusive mais razão pro desgraçado do que pra mim que trabalho com isso. Sempre tem um que diz que não precisa pagar nosso preço exorbitante porque ele consegue baixar um programa que faz a mesma coisa que o que nós estamos vendendo, de graça da internet.

E os que compram ainda acham que temos que fazer mil malabarismos para atender os seus desejos mais sem sentido, como se desenvolver uma coisa nova fosse só dar uns cliques com o mouse e pronto.

Minha mãe nem tem certeza do que eu faço no meu trabalho, os outros simplesmente resumem meu trabalho com um "ele trabalho com coisa de computador", o que é bem relativo, teve gente já me pedindo o preço de mouse.

Acho que vou seguir as recomendações do meu orientador de ensino médio que disse que era pra eu fazer direito, afinal de contas nesse país, advogado e esteticista não precisa nem ser formado pra ser chamado de doutor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário