24 de abr de 2008

Bloqueio à internet

Estudo em uma faculdade onde o acesso a determinados sites são totalmente proibidos. Se você tentar acessar o Orkut, por exemplo, verá apenas uma pagina informando que o site está bloqueado para navegação e a qual categoria de sites bloqueados ele pertence. Acho o bloqueio de um modo geral ótimo, pois ele evita que miguxos fiquem ocupando os laboratórios de informática enquanto estudantes sérios querem usar a internet para fins acadêmicos. Se o acesso ao Orkut e ao MSN fosse liberado aposto que muitos faltariam à aula para ficar exercitando seu analfabetismo digital (e funcional).

O que me incomoda neste bloqueio, apesar de eu ser a favor dele, é a forma indiscriminada como ele é feito. Por exemplo: todos os domínios blogspot.com estão bloqueados, isso é extremamente arbitrário; muitos blogs hospedados no serviço do blogger têm conteúdo de qualidade que pode ser aproveitado pelos estudantes. Blogs não são mais diarinhos virtuais de adolescentes e mulheres solteironas sem mais o que fazer, blogs são hoje fontes legitimas de informação de qualidade. Quando eu quero ler sobre tecnologia eu não fico esperando o caderno de tecnologia que vem junto com o jornal chegar, eu acesso sites que tratem deste assunto como o Meio Bit (meu preferido) e tantos outros sites que tem formato de blogs. Conhecidos meus tem ótimos blogs sobre assuntos específicos na área de tecnologia que são simplesmente bloqueados para o acesso em uma instituição onde eu faço um curso na área de tecnologia.

Como a maioria dos acadêmicos dos cursos de informática da minha faculdade eu sei como burlar o bloqueio da internet; porém isto é contra as regras, posso supostamente ser punido por isso segundo o código de uso dos laboratórios.

Obviamente podemos pedir o desbloqueio de sites que queiramos acessar na faculdade (desde que o site seja de interesse acadêmico), porem o processo necessário para fazer isso é ridículo. Deve-se pedir por e-mail ou pessoalmente nos balcões dos laboratórios; o pedido será então analisado (não sabemos exatamente por quem) e o prazo de resposta é de dois dias, sendo que você pode ter o pedido simplesmente negado sem maiores informações do porque da negação.

Por mais de uma vez este bloqueio ridículo me prejudicou. Outro dia mesmo vi um site que tinha conteúdo relevante para um trabalho que deveria realizar em grupo. Ao chegar na faculdade e tentar acessar o site para mostrar para meus colegas o que tinha encontrado, apenas vi o site que eu pretendia acessar enquadrado na categoria de acesso proibido "Encontro/Pessoais". O correto seria pedir o desbloqueio do site, mas nós estávamos ali reunidos a fim de buscar e utilizar o conteúdo que estávamos tentando acessar e precisava-mos ter acesso a informação naquele momento, obviamente eu burlei o acesso para poder utilizar o conteúdo.

A meu ver as instituições não estão preparadas para lidar com o fenômeno da internet, mesmo as instituições de ensino mais conceituadas parecem carecer de legisladores que entendam o mundo da informação virtual. A única solução que parece viável é protestar e esperar uma mudança de concepções por parte destas instituições. E enquanto ninguém resolve nada continuar burlando bloqueio a internet.

2 comentários:

  1. Esse evangelho aí acima faz parte da problematica, e não da solucionática. O jeito que se pode dar em bloqueios arbitrários de sites da internet é usando PROXY. Não sabe o que é? Muito simples: é um outro computador, que você acessa, e por controle remoto, faz com que ele entre no site proibido que você quer. O servidor "cortador de barato" não tem meios de saber que você está driblando-o, pois você está apenas acessando outro computador. Existem dezenas de milhares de proxyes disponíveis na internet. Use um proxy de outro país, pois é altamente improvável que o servidor da sua empresa o tenha listado na relação dos proibidos. Entre no google, e escreva "desbloqueio de bloqueio da internet" ou "proxy para desbloqueio". Escolha um.... Um outro processo é você entrar no site através do IP, ao invés de usar a URL. Caramba, não sabe o que é? Bem. Quase todo mundo usa a URL (Uniform Resource Location). Por exemplo: http://www.orkut.com.br é uma URL. O seu navegador, seja qual for, Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome, Opera, etc, converte a URL em IP. IP é "Internet Protocol", um código numérico para todos os endereços da Internet. Cada computador tem um IP, inclusive o seu! Se você quiser saber o seu, escreva no google "whatsmyip" e ele te dará seu IP agora.
    AGORA, porque quando você acessa a internet, seu provedor te atribui um IP "provisório". Se você sair da internet e voltar daqui a algum tempo, o seu provedor vai te atribuir um OUTRO IP provisório. Dificilmente será o mesmo. Exemplo de IP: http://198.162.10.1
    Se você escrever isso na barra de endereços e clicar enter, o servidor não saberá onde você está entrando. Outro jeito de saber seu IP é através do RJNET. Escreva isso no google e este site te dará qual seu IP agora, além da velocidade da internet a que você está conectado. Não se iluda com a velocidade: a velocidade de DOWNLOAD, que é o que te interessa, é 10% da velocidade da internet!
    Fica triste não... Murilo

    ResponderExcluir
  2. Nunca mais colocarei um comentário em seus artigos. Perdi um tempo enorme escrevendo um HOW-TO, e vocês cancelaram o comentário? Ora, vocês não são muito diferentes dos bloqueadores de internet objeto destes scraps!

    ResponderExcluir