15 de mai de 2008

Quero um dia com 30 horas

Quando era criança sempre ouvia falar que quanto mais a gente cresce mais curto parece ficar o nosso tempo. Semana passada fiz aniversário (20 anos, como eu to velho!), e começo a perceber que as reclamações quanto a falta de tempo são verdadeiras. Vivo preso á uma rotina extremamente apertada onde eu acordo de manha e saio para trabalhar e só vou parar de correr quando chego em casa á noite da faculdade. Tenho consciência de que das 7 horas da manha de segunda-feira até as 11 horas da noite de sexta-feira, eu não vou ter tempo para fazer nada fora da minha rotina e que, qualquer coisa que me desvie ou me atrase irá causar um efeito em cadeia que talvez me obrigue a perder o final de semana para resolver.

Quando você percebe que está realmente saindo da fase da adolescência e entrando no mundo adulto bate um desespero por saber que os "bons tempos" não irão mais voltar. Saber que não vou poder mais jogar conversa fora com meus amigos á hora que eu quiser, não ter mais o prazer de voltar da escola pelo caminho mais longo só pelo prazer de aproveitar o clima do outono, saber que terei muitas responsabilidades e que não vou poder fugir delas nem pedir ajuda sempre para alguém.

Fiquei meio depressivo no meu aniversario pensando nisso, ficar depressivo no próprio aniversario deve ser um sinal de que estou realmente ficando velho ou pelo menos estou ficando mais amargo.

Não sou muito de usar este espaço pra ficar chorando as pitangas mas resolvi só por hoje dar um descanso para meus amigos que já devem estar cansados de ouvir minhas lamurias. Claro que a vida adulta não são só espinhos, minha vó casou com o terceiro marido aos 70 anos e eu acredito que ela vai enterrar esse e ainda vou ter pelo menos um quarto vovô. Tenho que aprender a aproveitar as novas condições de vida que eu tenho.

Além do que, ontem eu tive prova de Calculo na faculdade e acho que quem sabe eu vou reprovar antecipadamente na cadeira e, por isso talvez eu acabe cancelando minha matricula nesta cadeira; pelo menos vou ter a quarta-feira livre para um happy hour (viram já estou começando a ver o lado bom das coisas).

2 comentários:

  1. Eu entendo tudinho o que você falou, palavra por palavra. Tenho 25 anos, me formei em medicina em dezembro do ano passado, agora tô trabalhando como médico da Marinha, final do ano faço provas de residência e se tudo der certo em fevereiro de 2009 estarei atolado de plantões. Meus amigos, a maioria deles formados, ou estão muito ocupados com seu trabalho e suas noivas, ou estão morando em outro lugar (2 deles nos EUA), e o que sobra pra mim? Pouca coisa, senão chegar em casa, dar uma nerdeada, ler um livro, estudar e dormir. Então é assim mesmo cara, faz parte do processo de "virar adulto". Mas isso nao quer dizer que a vida a partir de agora vai ser cinza... com o trabalho árduo vêm os frutos do que você planta, dignidade, realização profissional, retorno financeiro... e não pense que será sempre assim. Se você plantar certo, vai colher bons frutos e poder desfrutar sua vida de adulto. Agora enquanto a gente é jovem a gente aguenta o tranco de longas jornadas de trabalho, de compêndios gigantes pra estudar, a hora da correria é agora, depois bem a calmaria, vai por mim. O ser humano só suporta o sofrimento quando ele sabe que vai ter fim. Tenha planos, trace metas, alcance seus objetivos, a vida é uma sequência de conquistas, e isso é que a faz ser tão interessante. Precisando de qualquer coisa, estamos aí. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Pois é amigo, faço minhas as suas palavras... este ano completo 20 anos e penso tambem nestes assuntos que tocou.

    O contato com os amigos é que realmente complica, pois todos estão nesta fase "complexa" também.

    ResponderExcluir