31 de jul de 2008

Finalmente um Bom Serviço de Tele-Atendimento

Achei essa piada na net, fui pesquisar e não encontrei a fonte original. Mas a piada é muito boa então vai ai a kibada sem créditos mesmo:


Finalmente um Bom Serviço de Tele-Atendimento

- Alô? Quem tá falando?
- É o ladrão.
- Desculpe, eu não queria falar com o dono do banco. Tem algum
funcionário aí?
- Não, os funcionário tá tudo de refém. ..
- Eu entendo. Trabalham quatorze horas por dia, ganham um salário
ridículo, vivem levando esporro, mas não pedem demissão porque não
encontram outro emprego, né? Vida difícil. Mas será que eu não
poderia dar uma palavrinha com um deles?
- Impossível. Eles tá tudo amordaçado.
- Foi o que pensei. Gestão moderna, né? Se fizerem qualquer crítica,
vão pro olho da rua. Não haverá, então, algum chefe por aí?
- Claro que não rapá. Quanta inguinorânça! O chefe tá na cadeia, que é
o lugar mais seguro pra se comandar um assalto.
- Bom… Sabe o que é? Eu tenho uma conta…
- Tamo levando tudo, ô bacana. O saldo da tua conta é rosca, zero, nada!
- Não, isso eu já sabia. Eu sou professor. O que eu queria mesmo era
uma informação sobre juros.
- Companheiro, eu sou um ladrão pé-de-chinelo. Meu negócio é pequeno.
Assalto a banco, vez ou outra um seqüestro. Pra saber de juro é
melhor tú ligar pra Brasília.
- Sei, sei. O senhor tá na informalidade, né? Também, com o preço que
estão cobrando por um voto hoje em dia… Mas, será que não podia
fazer um favor pra mim? É que eu atrasei o pagamento do cartão e
queria saber quanto vou pagar de taxa de juros.
- Tu tá pensando que eu tô brincando? Isso é um assalto!
- Longe de mim. Que é um assalto, eu sei perfeitamente. Mas queria
saber o número preciso. Seis por cento, sete por cento?
- Eu acho que tú não tá entendendo, ô mané. Sou assaltante. Trabalho
na base da intimidação e da chantagem, saca?
- Ah, já estava esperando. Vai querer vender um seguro de vida ou um
título de capitalização, né?
- Não… Eu… Peraí bacana, que hoje eu tô bonzinho e vou quebrar o
teu galho. Um minuto depois…
- Alô? O sujeito aqui tá dizendo que é oito por cento ao mês.
- Puxa, que incrível!
- Tú achava que era menos?
- Não, achava que era isso mesmo. Tô impressionado é que, pela
primeira vez na vida, consegui obter uma informação de uma empresa
prestadora de serviço, pelo telefone, em menos de meia hora e sem
ouvir Pour Elise.
- Quer saber? Fui com a tua cara. Dei umas bordoadas no gerente e ele
falou que vai te dar um desconto. Só vai te cobrar quatro por cento,
tá ligado?
- Não acredito! E eu não vou ter que comprar nenhum produto do banco?
- Nadica. Tá acertado. Se ele chiar vai tomar mais uma bifa!!!
- Muito obrigado, meu senhor. Nunca fui tratado dessa…
- Ih, sujou! (tiros, gritos) A polícia!
- Polícia? Que polícia? Alô? Alô? Sinal de ocupado … Alô?… Droga!
Maldito Estado. Sempre intervindo nas relações entre homens de bem!

Caminhe com a ajuda do Google Maps

O Google Maps alterou sua interface para uma melhor utilização do recurso "Como Chegar".  No Google Maps Brasil, que é mais indicado para pesquisa de mapas em território brasileiro, já se encontra disponível também a opção de escolher se quer que a rota seja mostrada para ser percorrida de carro ou a pé.
 

Confesso que meu sentido de localização é tão bom quanto o de uma toupeira no asfalto; por isso aprendi a apreciar tanto o Google Maps.

Com a opção de trajeto á pé ficou ainda melhor, porque posso ter uma noção da distância que terei que percorrer.

Aproveite este recurso para andar á pé quando tiver mais tempo. Conhecer lugares andando á pé pode ser uma atividade muito prazeirosa.

Outro recurso que já existia no Google Maps e que eu sempre achei muito legal, é a possibilidade de colocar um mapa em um site ou blog.

E pra mostrar para todos o lugar onde eu me escondo moro vou deixar um mapa aqui.



Exibir mapa ampliado

 

Sapiranga: cidade das Rosas, do Vôo Livre, próxima de Novo Hamburgo, Campo Bom e um pouco além de onde Judas perdeu a unha do dedão esquerdo.

30 de jul de 2008

Em prol dos protesto de gostosas


Não protesto contra as gostosas, pelo amor de Deus; mas sim por mais gostosas protestando contra a situação deste país.

gostosa protestando

A artesã Angel Vaz, de 28 anos, chamou a imprensa para o centro do Rio de Janeiro afirmando que iria tirar a roupa como forma de protesto.


Angel - deve ser nome "artístico"- deu o seguinte depoimento:


Estou aqui contra a fome, a injustiça e as promessas não cumpridas pelos políticos


É claro que tudo não passou de uma grande cena de auto promoção; que a moça foi bem genérica no motivo de seu protesto; que não existe obscenidade que supere os nosso políticos mas, mesmo assim, vamos analisar a situação.


A garota, que não é de se jogar fora, resolve tirar a roupa como forma de protesto, afim de chamar a atenção dos políticos brasileiros.


Que tipo de protesto é esse. Protestos deveriam ferir os olhos de quem os observa, provocar confusão á quem são direcionados. A moça ficou pelada em público por apenas 15 minutos - 10 se descartarmos o tempo que ela passou coberta com a bandeira- tem mais mulher pelada na novela das oito que isso.


Protesto mesmo é o Lula ficar pelado no meio da praça; o SUS teria que reforçar absurdamente o seu quadro de psicólogos e psiquiatras. Protesto é eu - com minhas belas formas - ficar pelado no meio da rua; é claro que se um dia eu chegar ao absurdo disto, comunico antecipadamente amigos e conhecidos para se esconderem em uma caverna e serem poupados do trauma.


Sempre achei que 99% dos protestos que vemos hoje em dia no Brasil são pura babaquice. Mas já que é pra fazer protesto inútil, chamem umas gostosas pra tirar a roupa. Eu aprovo!




Post bom sobre em: A nova corja.

Sobre o que Blogar?

As vezes é difícil encontrar alguns assunto interessante para colocar aqui. Estou com um pouco mais de tempo enquanto não começa o semestre, mas percebi que meu blog tinha poucos posts não porque eu realmente não tivesse tempo, mas geralmente porque eu não tinha idéias, pelo menos, idéias que passassem pela minha aprovação.

Basicamente o meu processo de criação de post acontece por etapas. Primeiro eu tenho uma idéia genial - pelo menos uma que eu ache genial -, se eu não esquecer de anotar a idéia - o que geralmente acontece - eu coloco ela no editor que tiver mais a mão no momento. Se eu não acabar me desviando da postagem para ler meus feeds, ver meu e-mail, ver um vídeo no YouTube, ler outros blogs e acabar tendo que atender outros compromissos, acabando por abandonar o post - o que geralmente acontece -, eu publico o post como rascunho. Se eu ler o post e não descartar ele por parecer um assassínio a todas as regras da boa escrita - Ctrl+C Ctrl+V o que geralmente acontece -, eu publico ele no blog. Ai se eu ainda tiver algum tempo - o que geralmente não acontece - eu dou uma última revisada, pra ver se eu não deixei algum erro muito absurdo de português, se as imagens não destruiram o meu layout, se o espaçamento entre parágrafos tá do jeito que eu gosto e vou colocar o post em alguma rede de social-bokemarks que eu considere adequada.
 
O problema é que poucos posts que se iniciam neste processo chegam á ser publicados. Ainda não consegui ter um posição mais disciplinada em relação as postagens no blog. As vezes apenas lembro que tive uma excelente idéia pra fazer um post e tenho ódio de mim mesmo por não lembrar que idéia era essa.
 
Cada vez mais tenho prazer me blogar, apenas tenho que achar um lugar na minha rotina para este prazer. O problema é que este apenas não é tão fácil assim.
 
Meu muito obrigado aos leitores de deste blog e gastam seu precioso tempo - ou nem tão precioso assim - lendo o que escrevo. E um muito obrigado especial á quem ainda tem a paciência de comentar.
 
 
Este post é inspirado em um post antigo e muito bem escrito - inveja boa- que eu encontrei aqui:
Sobre o que vou blogar hoje? Blogar por blogar não dá né?

29 de jul de 2008

Como colocar a pesquisa Google do Firefox em português


Desde que baixei o Firefox 3, tenho confirmado a cada dia que o Firefox é, sem dúvida, o melhor navegador que existe. Se ele ainda não é o mais usado é porque grande parte dos internautas são miguxôs ou usuarios leigos que acham que o E azul é o mesmo que Internet.

Apenas uma coisa estava me incomodando no Firefox. Quando eu usava a caixa de pesquisa do integrada com o navegador para o buscador do Google, os resultados sempre eram exibidos na página de pesquisa em inglês. Por isso páginas escritas em português tinham aquele link para tradução automática e as páginas em inglês não.

Isso me incomodava bastante, considerando que o endereço google.com.br privilegia endereços em português e o google.com dá preferência para resultados em inglês. Era chato ter que entrar no Google Brasil sempre que queria pesquisar, sendo que eu já estava acostumado com o simples comando Ctrl+K, que me levava direto para a caixa de pesquisa.

Procurei na Internet e não achei solução. Tentei usar o about:config mas desisti de procurar depois de ler as 100 primeiras linhas. Ai lembrei que sempre existe um arquivo de configuração para tudo.

Pra quem estiver tendo este problema deixo aqui a maneira como eu resolvi:

Existe um arquivo chamado google.xml na pasta \Mozilla Firefox\searchplugins\ na sua pasta de Arquivos de Programas (caso use Windows, no Linux é diferente, mas se você usa Linux, provavelmente sabe onde está o Firefox) . Abra o arquivo, de preferência em um editor que entenda a formatação html, eu recomendo o Notepad++, mas é possivel usar o notepad comum mesmo - só não use o Word sob pena de destruir a pesquisa Google.

Procure no texto a linha :

<Url type="text/html" method="GET" template="http://www.google.com/search">

Coloque o .br no final do endereço google.com e antes do /search.

Salve o arquivo tendo o cuidado de manter a extensão .xml e pronto. Suas buscar serão direcionadas para o Google Brasil e não mais para o Google in English.

28 de jul de 2008

Um pouco de frio para melhorar

Sabe aquele tipo de pessoa que adora o sol do verão, pegar praia no final de semana, correr no parque no inicio da manhã; pois é, eu não sou assim.



Minha estação favorita sempre foi e acredito que sempre será o inverno (desde que eu não vá morar no Alasca, é claro).



Sempre me senti meio sacaneado por ter nascido em um país tão tropical como o Brasil, mas sempre me senti aliviado por ter nascido na região mais ao sul desse país de Luiz Inácio. O Rio Grande do Sul tem um dos invernos mais lindos de todo o Brasil. Não chove tanto como no norte, não tem tantos alagamentos como no sudeste, e não tem tanta lama como no Distrito Federal.







No inverno, sempre acordamos com uma bela neblina que torna a manhã extremamente lúgubre; neblina pode parecer algo ruim em outros estados, principalmente para quem precisa dirigir, mas por aqui já estamos acostumados.



No inverno, as pessoas parecem mais elegantes. Já viu aquelas reportagens sobre o Festival de Cinema de Gramado? Já viu como as pessoas parecem chiques. Pois é, no inverno nós, gaúchos, costumamos usar malhas, ponchos, mantas, boinas, chapéus, palas e todas essas outras coisas que, descobri através de amigos vindos de outros estados, são consideradas vestimentas chiques. Além do que, no inverno, pessoas gordas como eu podem se sentir um pouco melhor para sair na rua; ninguém fica todo suado e parecendo ter recém saído de uma sauna, ninguém vai perceber se você engordar dez quilos (até chegar o maldito verão, é claro).



Outra coisa que faz do inverno a melhor estação para mim, é um dos meus maiores prazeres, que só pode ser aproveitado plenamente com a temperatura mais baixa: dormir.



Nos dias quentes não tem nada mais torturante do que deitar na cama para dormir. Não dá pra ligar o ar-condicionado, porque senão você acorda sem voz no outro dia; o ventilador só faz vento quente; os malditos mosquitos se tornam super-mosquitos invulneráveis àqueles aparelinhos que te vendem, prometendo uma noite livre de mosquitos; você vira de um lado para outro na cama até resolver ligar o ar, porque não consegue dormir naquele calor e por fim, acorda no outro dia, já cansado logo de manhã, e todo rouco e entupido por causa do ar-condicionado.



No inverno nada disso acontece. Dormir é uma das melhores coisas do inverno. Aproveitar a cama quentinha, tomar chocolate quente antes de dormir. Sem mosquitos pra te encher o saco. De manhã você acorda mais disposto, pois teve uma boa noite de sono; claro qua não dá muita vontade de levantar - eu costumo me atirar para fora da cama, as vezes eu caio, mas é o único meio de levantar -, ai é só tomar uma ducha bem quente para estar preparado para um belo dia de inverno.



O sol no inverno é maravilhoso, porque te esquenta ao invés de te queimar. Podemos nos reunir em locais fechados sem aquela sensação de abafamento, podemos patinar no gelo - em Gramado pelo menos - usando roupas de inverno, e não de camiseta e bermuda dentro de um shopping. Podemos ver neve de verdade e tomar o chimarrão da forma mais tradicional: queimando todas as nossas papilas gustativas de tão quente.



Só posso afirmar uma coisa: se eu não gostasse tanto do Brasil, principalmente do Rio Grande do Sul, já teria me mudado para a Groêlandia, só pra poder aproveitar o frio o ano inteiro.

Tirinha: Dr Pepper


Se você é como eu e gosta de tirinhas politicamente incorretas, nojentas, cheias de humor negro, indecentes, do tipo que não se pode ler em público, obscenas e muito mal desenhadas, eu recomendo que você acesse o blog do Dr Pepper.



Se você está se perguntando como eu posso gostar de algo como o DrPepper, eu só posso responder que não sei, deve fazer parte de minha natureza.

24 de jul de 2008

O importante é postar

Fiquei alguns dias sem postar por desencontro de tempo e idéias; quando eu tinha tempo, não tinha idéias; quando eu tinha ideias, não tinha tempo, e nem papel para anotar, com exceção de guardanapos de lanchonete, os quais eu nunca consegui usar para anotar coisa nenhuma se rasga-los todos.

Vinha mantendo um aumento constante de visitantes, alguns amigos mais pacientes e simpáticos comentaram; porém, quando fiquei alguns dias sem postar nada percebi que houve um declínio enorme no número de visitantes.

Só posso chegar a uma conclusão com isso. Como tudo na vida, ter um blog de sucesso - seja lá o que isso signifique - só será conseguido com um mínimo de esforço pessoal e dedicação. Não adianta criar um blog colocar, alguns vídeos "maneiros", copiar alguns posts de outros blogueiros, encher de AdSense - 'porque eu sei de um cara que ganha 8 mil por mês, de barbada na Internet, só com o blog dele' -, e esperar que os visitantes venham aos milhões.

Pra atrair visitantes é necessário gerar conteúdo, e conteúdo de qualidade de preferência.

22 de jul de 2008

Porque jornalistas não devem usar o Google Images


Você conhece a pesquisa de imagens do google. Se você está lendo este post é provável que conheça. Pois parece que um jornalista italiano do 'La Stampa' também conhece mas não entendeu bem ainda como usar.

Basicamente a mula italiana resolveu escrever uma matéria sobre o caso do banqueiro Daniel Dantas, porém precisava de uma foto do dito cujo para ilustrar sua matéria; o que ele fez então : foi la no Google Images e digitou na caixa de pesquisa "Daniel Dantas". Pegou a primeira foto que mais lhe agradou e colocou em sua matéria.

O problema é que o jornalista não sabia que existe outro Daniel Dantas ilustre no Brasil - até ai perdoável, eu também não sabia - Estou falando do ator global Daniel Dantas que se não me engano está no elenco da atual novela das seis - lembar de perguntar para minha mãe.

Não saber que existe um ator famoso no Brasil com o nome de Daniel Dantas tudo bem, mas deixar de checar a veracidade de uma imagem coletada na internet é o tipo de imbecilidade que um jornalista sério não se pode dar ao luxo de cometer.

Um caso semelhante aconteceu com a Luma de Oliveira, quando o jornal britânico "The Independent" colocou uma imagem de quase meia pagina com uma foto de Luma, para ilustrar uma reportagem sobre um escândalo envolvendo executivos da
Volkswagen alemã, que teriam usado dinheiro da empresa para pagar
prostitutas em viagem pelo Brasil.

Cada vez mais me convenço de que jornalistas podem e devem aprender muito com blogueiros. Mesmo eu que não sei de muita coisa, sei que se deve ter cuidado quando se usa uma imagem para ilustrar algum caso ou situação especifica.

Update: Ao escrever este post descobri que os erros jornalisticos não são exclusividade de jornalistas italianos e britanicos, deem uma olhada na imagem abaixo de um jornal bahiano:


16 de jul de 2008

Nostalgia é coisa de velho?

Hoje me deparei com uma situação que não me ocorria a algum tempo; nada muito importante: tive que andar por um caminho, que costumava pegar um tempo atrás, para me encontrar com meus amigos que faziam e fazem parte do grupo de teatro que participo.


Enquanto bufava, arfava e me arrependia de toda uma vida sedentária, comecei a lembrar com saudade dos tempos que não voltam mais - clichê pouco é bobagem.


Nostalgia sempre me pareceu coisa de gente velha, que fica olhando fotos antigas, apreciando paisagens de lugares que fizeram parte do seu passado; porém talvez eu estivesse enganado. Cada vez mais me percebo lembrando com aquele misto de saudade e tristeza de épocas em que minha vida parecia mais fácil e simples de se viver - já está virando clichê de pagodeiro.


Sempre fico lembrando como era bom não ter tantas responsabilidades. Que o meu maior problema á resolver era recuperar as notas baixas conseguidas ao longo do ano para poder passar para a próxima série. Depois vem a idade adulta, temos que escolher o que vamos fazer na faculdade - como se um adolescente de 17 anos soubesse o que quer fazer para o resto da vida- ; temos que trabalhar, temos que pagar contas e apesar de o seu salário ser bem maior que a mesada que seus pais te davam, fica a estranha impressão de que estamos mais pobres.

Claro que ser adulto não implica só em coisas ruins. Poder entrar onde se quer sem ter que mostrar identidade, sem ter que ter um amigo adulto pra acompanhar, também é muito legal. Poder dirigir um carro - só me falta o carro -, poder comprar álcool - mas não poder beber porque você vai ter que dirigir -, e poder não ter que dar satisfação da sua vida pra ninguém - só para seus pais é claro, porque quem mora com os pais sabe como eles são persuasivos quando querem arrancar alguma informação dos filhos.

O melhor de tudo mesmo é saber, que apesar de eu não ter vida própria em dias úteis, pois todo meu tempo e dedicado ao eixo trabalho-faculdade, todo meu esforço vai me garantir uma boa carreira em alguma profissão que eu ainda não sei qual é.

Acho que vou voltar pra orientação vocacional!

14 de jul de 2008

Brincando com o blog dos outros

Clique na imagem para ampliar:


Quem é blogueiro ou simplesmente conhece alguma coisa de internet além de MSN e Orkut deve conhecer ou já ter ouvido falar de um dos melhores blogs da blogosfera brasileira, o MeioBit.

Isso foi só uma brincadeira. Espero que ninguém se ofenda. Depois eu posto outros.

Linha do Inferno

Como todo bom universitário desprovido de boas condições financeiras (vulgo pobretão), de vez em quando tenho que fazer uso do transporte público para me deslocar.

Na última sexta-feira tive de ir para a faculdade pois fiquei em recuperação, em uma das cadeiras que estava cursando, por motivos que prefiro não mencionar aqui.

Pois bem, durante o dia não tive muito tempo para estudar, então decidi imprimir o meu material de estudo e pedir para sair alguns minutos antes do meu trabalho, para pegar o ônibus para a faculdade, pretendendo aproveitar os longos minutos de viagem para estudar para a minha prova de recuperação.

Quando o ônibus chegou no ponto onde eu ia subir - dez minutos atrasados, claro - percebi o tamanho da minha inocência. Parecia uma lata de sardinha. Todos os lugares ocupados e quase todo o corredor ocupado.

Ai começou a tortura, eu lá de pé, tentando segurar minha mochila, meu casaco que estava na minha mão e a mim mesmo, enquanto o motorista atrasado fingia dirigir para alguma escuderia de fórmula 1.

Chegou um ponto, que o ônibus ficou tão cheio que não tinha mais como subir ninguém. Toda vez que que o ônibus parava era aquela gritaria: "UM PASSINHO A FRENTE", "NÃO DÁ MAIS", "NÃO CABE MAIS NINGUÉM", "PRA QUE TEM FISCAL NESSES ÔNIBUS", "QUEM ME PASSA A MÃO VAI LEVAR UMA BIFA". E eu lá com aquela impressão de que as vezes nossa vida parece não valer muito a pena.

E pra quem acha que gordo não devia andar de ônibus eu só tenho uma coisa dizer: pra quem é gordo, andar de ônibus é bem pior. Temos mais lastro e por isso temos que fazer muito mais força para nos segurar. Pra que acadêmia se eu posso exercitar meus bíceps e tríceps, tentando não cair no chão enquanto aproveito um belo passeio.

O pior é na hora de descer, porque não tem como ter muita certeza da onde se está, devido ao grande acumulo de pessoas que te atrapalham a visão, e ao excesso de perfumes corporais que turvam o teu senso de realidade.

O único momento bom da viagem chega finalmente. Quando descemos podemos respirar um pouco de ar puro e a lomba/quase paredão que tenho que escalar subir para chegar na faculdade não parece tão ruim assim.

Nesses momentos eu só tenho um pensamento na mente. O inferno deve ser um POA-Taquara as seis da tarde.

Este post é meio que inspirado no post "Coisa de Louco" da Bruna, minha amiga e blogueira iniciante como eu. O blog dela tem uma indecência involuntária que só as mentes mais poluídas vão encontrar.

E o post vencedor é ...

Não faz muito tempo publiquei um post intitulado "Juliana Paes Nua Fazendo sexo em filme Porno" só para testar quantas visitas este tipo de post poderia me render.
>

Cada vez mais tenho recebido visitas dos buscadores, principalmente do Google, é claro; e percebo como estes posts apelativos chamamatraem muitos visitantes paraquedistas. Estou até pensando em ressucitar o adsense nesse blog, que eu abandonei por não ter quase nenhuma visita desses seres desprovidos da natural capacidade de ignorar propaganda em sites que, quem tem mais familiaridade com a internet possui.

Estou me dando conta também que esse tipo de conteúdo pode prejudicar meu blog, pois tudo que você publica contribui pra melhorar ou piorar o "conjunto da obra" de um blog.

A lição aprendida hoje por mim é: falar de gostosas, só entre amigos.


10 de jul de 2008

Umbrella Acustico

Acho que vou ter um ataque de paixão platônica!



Rihanna - Umbrella (Acoustic)

A garota é bonita, canta com a voz de um anjo e tem leves características orientais. O nome dela é Marie Digby e tem alguns vídeos muito bons delas no Youtube.

9 de jul de 2008

Porque prefiro o Blogspot

O Usuário Compulsivo fez um excelente post sobre "Porque prefiro o Blogspot ao Wordpress" onde ele deixa bem claro uma série de vantagens de se ter um blog no Blogspot contra se ter um blog no Wordpress.com ou com uma hospedagem paga usando o CMS Wordpress.

Basicamente posso definir em uma frase o porque de eu preferir o Blogspot: "Porque sim".

Existe na Blogosfera uma diversidade muito grande de pessoas e personalidades. Não existe um motivo cabal para eu preferir o Blogspot. Minhas preferências, sejam no que for, são definidas, segundo o que eu acredito que seja melhor para mim.

Deve ser maravilhoso ter controle total sobre o seu blog, usando uma hospedagem paga, mas eu realmente não preciso de uma hospedagem paga. Por enquanto eu não preciso nem mesmo de um domínio próprio. Meu blog é um hobbie que eu pretendo levar cada vez mais a sério, e sendo um hobbie, eu não sinto necessidade de ter as despesas e complicações que envolve ter hospedagem paga e domínio próprio.

Tenho me esforçado cada vez mais em escrever bons posts, para a meia-duzia de leitores que caem neste blog, procurando filmes pornograficos da Juliana Paes e para alguns amigos que fazem o favor de ler meus textos, me aconselhar e comentar.

Porém gostaria de deixar registrado aqui uma coisa que tem me incomodado muito desde que comecei a blogar: o preconceito dos blogueiros com relação ao Blogspot. Tenho a total certeza de que seria levado mais á sério se tivesse dominio próprio e Wordpress, mesmo que escrevesse só sobre as coisas que encontro no meio da grama do meu jardim.

A primeira coisa que escuto quando mando um e-mail pra lista da Blogosfera é que eu deveria ter um domínio próprio ... blablabla ... wordpress ... biribiri ... blogs no blogspot não são profissionais ... mimimi ... você nunca vai conseguir monetizar usando o blogspot...

Acima de tudo eu acredito que deve haver respeito pelas escolhas das outras pessoas, e que se não for pra ajudar, melhor nem criticar!

Update : o post do Compulsivo caiu na lista da Blogosfera. Como a gente diz aqui no Sul : vai ter risca faca!

8 de jul de 2008

Blog da Biblioteca da Feevale

Já tinha postado aqui que o pessoal da Feevale havia criado um blog do Vestibular Feevale no Blogspot.


Ontem, quando fui acessar a seção da Biblioteca do site da Feevale me deparei com isto:



Agora a biblioteca da Feevale também tem um blog oficial, e adivinhem, ele está hospedado no Blogger. Na primeira vez que acessei o blog, minha primeira impressão foi de que eles colocaram o pior layout que puderam encontrar. Agora eles já mudaram o template por outro um pouco melhor.

Só quero dizer que acho muito legal essa iniciativa da Feevale de entrar no mundo dos Blogs e mais legal ainda eles terem optado por usar a plataforma Blogger.

5 de jul de 2008

IsFree.Tv volta ao ar como IsFreePop


Não faz muito tempo, um dos meus sites favoritos e o melhor site/comunidade sobre seriados de TV saiu do ar. Estou falando da IsFree.Tv; minha salvação naquelas tardes horrorosas de domingo quando a única coisa que se tinha para olhar na televisão, aqui nesse fim de mundo sem sinal nem cabo de TV por assinatura, era Faustão e Gugu.

A explicação do porque a IsFree saiu do ar pode ser lida neste tópico do Orkut na comunidade oficial da IsFree.

http://www.orkut.com.br/CommMsgs.aspx?cmm=24585636&tid=2597010694210598985&start=1

Mas o que me interessa mesmo é que as IsFree está de volta com um novo endereço e tão boa quanto antes. O único porém é que os antigos cadastros da IsFree foram perdidos e quem já era cadastrado, terá de se cadastrar novamente.

A IsFree agora é IsFreePop e pode ser acessada em http://www.isfreepop.com/.

Quem gosta de séries, de uma ajuda divulgando o Portal e se possivel adquirindo uma conta Premium - também podem ajudar não enchendo o saco do Felipe Neto quando a IsFree tiver problemas com os links, afinal de contas o cara faz tudo na maior boa vontade e o portal é acima de tudo uma comunidade onde todos devem se ajudar.

3 de jul de 2008

Blogs não devem substituir a terapia tradicional by Yahoo

Estava eu deslogando do meu e-mail do Yahoo - que coisa mais sem sentido aquilo de "Sair Completamente", se eu quero sair eu quero sair e pronto -, quando me deparo com uma matéria do portal do Yahoo com o mesmo título desta postagem. O artigo foi escrito pela Giuliana Reginatto - não conheço, e o Yahoo não ajuda muito com referencias - e o link é o seguinte:

http://br.noticias.yahoo.com/s/03072008/25/entretenimento-blogs-nao-devem-substituir-terapia-tradicional-diz-especialista.html

No artigo é explorada aquela tradicional visão de blogs como diários virtuais. Não vou entrar no mérito de alegar como blogs deixaram de ser sinônimo de diários virtuais á muito tempo; também não vou questionar o talento da autora em escrever apesar de acreditar que a melhor parte da matéria é uma citação do Moacyr Scliar.

O que me chamou a atenção foi uma pequena observação no final da matéria onde o psicanalista Ruy Fernando Barbosa declara que:

"Como é público, o blog tem certa relação com o narcisismo: ao escrever para outros lerem, a pessoa pode criar uma imagem, uma personalidade falsa, ao invés de aproveitar a escrita para elaborar melhor seus conflitos e praticar o auto-conhecimento".

Fico pensando quando ter um blog pode realmente se tornar prejudicial para o blogueiro. Ser blogueiro é um pouco como ser um personagem; e não me venham dizer que no meu blog eu escrevo como eu realmente sou. No nosso dia-a-dia costumamos assumir personagens para poder viver em sociedade ou simplesmente para nos sentirmos melhores perante as outras pessoas, então imagina como é na Internet onde é mais fácil criar todo um personagem que não tem nada á ver com a pessoa real por detrás dele.

Escrever um blog pode inclinar alguns a criar ou simular uma personalidade que não é realmente sua. Até que ponto os grandes nomes da Blogsofera são eles mesmos. Eles sobreviveriam se a Internet repentinamente deixa-se de existir - bate três vezes na madeira -, talvez muitos entrassem em pânico, na verdade quando o Google der fim ao AdSense já vai ter muito blogueiro por ai se enforcando com fio do teclado.

Na dúvida, é melhor tomar cuidado. Quando eu achar que estou perdendo minha sanidade eu paro com blogs e até deleto minha conta Google. Alias isso me lembrou que tenho que falar com o Teobaldo, meu amigo imaginário, sobre um blog que vamos escrever juntos.

2 de jul de 2008

Final de semestre


Final de semestre é sempre igual. Fico na maior ansiedade pelas férias quando vou ter um pouco de tempo pra mim e pra minha vida pessoal.

Ao mesmo tempo tem aquela tensão, porque eu sempre fico cheio de trabalhos atrasados, que eu já deveria ter, pelo menos, começado muito antes das duas últimas semanas do semestre.

Ai bate aquela sensação de que você está no curso errado, que você não tem nenhuma vocação pra carreira que você escolheu e que você é um idiota por não ter estudado durante o semestre.

O pior mesmo é que ao invés de estar fazendo o trabalho final, que tem que ser entregue amanhã, eu fico fazendo outras coisas como escrever em um blog em que a metade das visitas são minhas.

Melhor criar vergonha na cara e ir fazer o meu trabalho!

1 de jul de 2008

Um ano de trabalho e aprendizado


Hoje é dia 2 de Julho e estou completando um ano no meu atual emprego. Me parece estranho como pode um ano passar tão depressa; parece ontem mesmo eu estava animado com meu novo trabalho, pois iria trabalhar na minha área de formação acadêmica.Olhando com mais cuidado percebo que apesar de um ano passar rápido muitas coisas me aconteceram neste período,e que acima de tudo, foi um período de aprendizado.

 

Aprendi que ninguém sabe exatamente o que é trabalhar como programador ou com informática em geral, a não ser que você seja técnico. Nem minha mãe tem certeza sobre com o que eu trabalho.

 

Aprendi que muitas pessoas não compreendem que você trabalhe com informática e não seja um técnico.

 

Aprendi que preciso de mais camisetas com a frase"Não, eu não conserto seu computador". Só tenho uma por enquanto.

 

Aprendi que usuários são muito importantes para programadores. Não existimos sem usuários. Com exceção do Stallman, ninguém pode viver sem usuários e o nosso trabalho é tornar os programas e sistemas o mais úteis e simplificados para eles.

 

Aprendi que eu odeio usuários.

 

Aprendi que se deve tratar todos com respeito, mesmo que alguns não retribuam igualmente. Ser desagradável com alguém por vingança só vai te trazer ainda mais dor de cabeça com essa pessoa. Ser agradável com alguem que foi desagradável com você te torna mais protegido contra essa pessoa.

 

Aprendi que não existem caminhos fáceis ou bons salários garantidos em nenhuma carreira. A não ser que você seja um gênio ou um cara de muita sorte, apenas muito trabalho duro e estudo bem direcionado poderá te levar á uma posição melhor.

 

Aprendi que nada é para sempre e vale a pena ter fé que tempos melhores virão.

 

Aprendi que a vida é feita de escolhas e que se você tiver certeza que fez a escolha errada deve abandona-la e escolher de novo.

 

Aprendi que ter certeza que você fez uma escolha errada é muito difícil e é quase impossível abandonar tudo e seguir um novo caminho. Aprendi que trabalhar pode ser melhor do que ficar em casa olhando desenho animado na TV, e que vale á pena buscar novos desafios.

 

Aprendi que devemos sempre buscar trabalho e não apenas emprego, pois é assim que fazem os profissionais bem sucedidos - com exceção de alguns políticos e participantes de reality show's.

 

Aprendi que é sempre bom compartilhar com os outros nossas experiências e vivencias pois assim ajudamos outras pessoas e ajudamos á nós mesmos.

Termos de Uso

No blog Without Brain, reconhecemos a importância da privacidade. De seguida deixamos-lhe o tipo de informação pessoal que recebemos e coletamos quando visita o nosso blog, e como guardamos essa informação. Nunca venderemos a sua informação para terceiros, sejam eles particulares ou empresas.

Os registos


Tal como outros websites, coletamos e utilizamos informação contida nos registos. A informação contida nos registos, inclui o seu endereço IP (internet protocol), o seu ISP (internet service provider, como o Sapo, Clix, ou outro), o browser que utilizou ao visitar o nosso website (como o Internet Explorer ou o Firefox), o tempo da sua visita e que páginas visitou dentro do nosso website.

Os Cookies e Web Beacons

Utilizamos cookies para armazenar informação, tais como as suas preferências pessoas quando visita o nosso website. Isto poderá inclui um simples popup, ou uma ligação em vários serviços que providenciamos, tais como fóruns. A Google faz uso do novo DART cookie para servir anúncios baseados nos seus interesses e na sua visita ao nosso blog e a outros endereços na web. Poderá optar por não utilizar o DART cookie visitando a página de anúncios Google ad e o programa de policiamento da empresa.

Em adição também utilizamos publicidade de terceiros no nosso website para suportar os custos de manutenção. Alguns destes publicitários, poderão utilizar tecnologias como os cookies e/ou web beacons quando publicitam no nosso website, o que fará com que esses publicitários (como o Google através do Google AdSense) também recebam a sua informação pessoal, como o endereço IP, o seu ISP , o seu browser, etc. Esta função é geralmente utilizada para geotargeting (mostrar publicidade de São Paulo apenas aos leitores oriundos de São Paulo por ex.) ou apresentar publicidade direcionada a um tipo de utilizador (como mostrar publicidade de restaurante a um utilizador que visita sites de culinária regularmente, por ex.).

Você detêm o poder de desligar os seus cookies, nas opções do seu browser, ou efetuando alterações nas ferramentas de programas Anti-Virus, como o Norton Internet Security. No entanto, isso poderá alterar a forma como interage com o nosso website, ou outros websites. Isso poderá afetar ou não permitir que faça logins em programas, sites ou fóruns da nossa e de outras redes.