25 de nov de 2008

Robôs no Teatro

Se existe uma coisa que eu adoro, é o Teatro, tanto estar em cima do palco encenando, quanto estar na platéia assistindo, são atividades que eu considero das mais prazerosas; outra coisa que eu também adoro é Tecnologia, tanto que estudo e trabalho na área; no entanto nunca havia pensado se existia a possibilidade de juntar as duas coisas que mais gosto, em uma só.

Sempre me surpreendo com a criatividade (e às vezes com a perversão) dos japoneses. Mas nesta terça eu fui surpreendido por uma noticia um tanto quanto inusitada vinda da Terra do Sol Nascente.



Uma peça de teatro de duração de 20 minutos, escrita por Oriza Hirata, conta com atores robóticos interagindo com atores humanos.

A primeira apresentação ocorreu na Universidade de Osaka, para um grupo de jornalistas. Os robôs amarelos foram produzidos pela Mitsubishi Heavy Industry, e recebem o nome de Takeo e Momoko ( não, não sei se são nomes artísticos).

A utilização de robôs já vem sendo explorada a muito tempo pelo cinema, mas é a primeira vez que eu vejo robôs atuando em uma peça de teatro.

Eu particularmente, acredito que seria uma experiência incrível ter robôs no elenco de uma peça da qual eu participasse. Obviamente este é apenas o primeiro caso, robôs cada vez mais se tornarão comuns no nosso dia-a-dia, inclusive nos momentos de entretenimento.



Referência: G1 Tecnologia

Rede Social para crianças chega ao Brasil

Já postei aqui sobre os perigos das redes sociais, principalmente para crianças e adolescentes. Poucos pais se dão conta, de quão perigoso pode ser deixar uma criança navegando sozinha pelo Orkut ou por salas de bate papo; por mais que se queira monitorá-los, estes ambientes virtuais estão cheios de pessoas mal intencionadas.

No entanto, já faz um bom tempo que existe uma rede social segura para crianças: o Club Penguin, da Disney, acaba de lançar uma versão da rede em português, sendo esta a primeira língua a ser adicionada ao serviço, além do inglês, é claro.

No Club Penguin, as crianças podem criar avatares em forma de pingüins. Através dos seus personagens, os usuários podem bater papo, participar de atividades e interagir com o meio onde estão inseridos.

O lançamento da plataforma em português se explica pelo alto índice de usuários que tinham como língua materna este idioma.

O mais interessante da rede social é que os pais podem controlar as atividades dos seus filhos, alterando as configurações de segurança. É possível, por exemplo, impedir que durante um bate papo, a criança passe o numero do seu celular ou outros dados pessoais.

A rede também passara a contar com moderadores on-line, que falam português, e que vão monitorar os bate-papos entre as crianças.

Com certeza, seria uma utopia um pai acreditar que vai controlar tudo que seu filho acessa na internet, porém, poder contar com uma rede social segura, já é um grande alivio para pais mais preocupados.

O Ranking do BlogBlogs não tem utilidade nenhuma


Não pretendia postar sobre isso, mas como este blog está meio abandonado (inclusive com template perdido) e o PAC vai demorar um pouco para passar por aqui, resolvi escrever sobre o mais novo buzz da Blogosfera Brasileira (de uma parte dela pelo menos).

A campanha/meme/suruba de links “Mamãe, eu quero subir no ranking do BlogBlogs” gerou muita polêmica entre os blogueiros que fazem uso do BlogBlogs.

Antes de qualquer coisa, gostaria de dizer que eu não tenho nada contra os blogueiros que criaram o meme – nem sequer conhecia nenhum deles -, também não tenho nada contra o meme em si, pois para mim, ele refletia o espírito comum do termo meme, que antes de tudo, é uma brincadeira entre blogueiros, que envolve a troca de links. Você vê um meme inútil surgir toda semana, e vê um meme com algum conteúdo legal ou social aparecer de vez em quando.

Mas ontem, eu via a BlogBisca (bisca bisca bisca) pegar fogo discutindo sobre o assunto. Eu mesmo tentei dar uns pitacos, mas tenho bastante dificuldade em raciocinar quando minha caixa de entrada fica atulhada com mais de 50 e-mail’s da mesma thread em menos de trinta minutos.

O que causou tanta comoção na Blogosfera, foi o atrito entre os beneficiados e os lesados na brincadeira de subir no Ranking. O BlogBlogs é considerado o Technorati brasileiro, o que é muito justo, pois é o serviço em português que mais se assemelha ao original americano. Faz tempo que o BlogBlogs mantém um ranking com todos os blogs inscritos no serviço, sendo que o objetivo principal deste, é apontar, baseado em links recebidos de outros blogs igualmente cadastrados no serviço, a popularidade de cada blog.

Porém a campanha mostrou o que muitos blogueiros pareciam ignorar: o ranking é totalmente manipulável, não serve para nada, apenas serve mesmo para ... ser o ranking do BlogBlogs.

É claro que o ranking era comumente usado por agencias de publicidade e propaganda para direcionar suas campanhas, mas não como fator único; apenas como fator auxiliar. Vi muita gente reclamando que a suruba de links destitui sua utilidade, mas não vi até agora ninguém afirmar que “O RANKING NÃO TINHA UTILIDADE NENHUMA!!!”. A única utilidade real do ranking era massagear o ego de alguns blogueiros que, seja por mérito (o que é inegável em alguns casos), seja por alpinismo social, estavam no topo.

Pessoalmente não participei do meme por dois motivos:

Primeiro: não tenho paciência para memes que não acrescentem em nada, se vou poluir meu blog com posts sem conteúdo, vou fazê-lo por mim mesmo ou por convite de algum amigo, não porque eu ache legal bagunçar o ranking de algum serviço que eu quase não utilizo.

Segundo: o meme em nada me serviria. O objetivo do meme era subir posições no ranking do BlogBlogs, mas o único blog que tenho cadastrado no serviço ( que é este aqui por acaso), tem uma posição tão insignificante no ranking, que mesmo subindo mil posições, ainda continuaria muito longe dos primeiros colocados. Nem tenho o widget de visitantes do BlogBlogs no meu blog, pois ele costuma dar muito problemas com o meu FireFox.

Minha opinião é basicamente que ,alguém criou um meme para bagunçar um serviço que muitos blogueiros usavam, achando que estava mostrando as veleidades da blogosfera, outros entraram na brincadeira só para se aproveitar do meme e subir no ranking; mas no fim das contas, ninguém ganhou nada; quem caiu, perdeu posições, quem subiu, perdeu credibilidade, junto com o ranking que pretendia conquistar!

22 de nov de 2008

Você não sabe o que é blogar até conhecer o Generación Y

As maiores preocupações dos blogueiros costumam ser a indexação dos seus posts no Google, o rendimentos do seu Adsense e os plagiadores de conteúdo. Mas imagine blogar em um regime politico ditatorial, onde você pode ser preso ou simplesmente desaparecer por emitir suas opiniões no seu blog; imagine blogar em um país onde o acesso a internet é controlado e restrito apenas a funcionários do governo e estrangeiros.

Pois são estas as condições a que está submetida a blogueira Yoani Sánchez, cubana, 32 anos. cubana_Yoani

Yoani é a responsável pelo blog Generación Y, onde escreve textos sobre o seu cotidiano e protestos contra o regime politico cubano. O seu blog é uma critica ao governo que jamais poderia ser feita, por meio oficiais em seu país.

O blog que existe desde abril de 2007, foi criado, segundo sua autora, para tornar públicos seus desabafos pessoais, e seu descontentamento quanto a sociedade em que vive. O nome do blog é uma alusão a sua geração, que recebia na sua maioria, nomes iniciados pela letra Y. nas palavras da própria Yoani "Geração Y é um Blog inspirado por pessoas como eu, com nomes que começam ou contem um ípsilon. Nascidos em Cuba, nos anos 70s e 80s, marcados pelas escolas da paisagem rural, bonequinhos russos, emigração ilegal e frustração. Por isso, convidamos especialmente Yanisleidi, Yoandri, Yusimí, Yuniesky e outros que arrastam os seus ípsilons, para ler e escrever para mim."
Para se manter em um país onde 1 hora de acesso a internet pode custar o equivalente a quase 1/3 do salario médio de um trabalhador, Yoani dá aulas de espanhol a estrangeiros, profissão aliás, não regulamentada e até mesmo discriminada pelo governo.

O blog de Yoani faz parte do portal DesdeCuba, onde ela foi uma das primeiras autoras. Obviamente o portal desenvolvido em Joomla, esta hospedado em servidores fora de Cuba, na Alemanha para ser mais preciso. Yoani adquiriu o conhecimento necessário para montar o portal, quando morou na Suíça, após fugir de Cuba, onde cuidava da home page de uma livraria. Yoani decidiu retornara a Cuba, contra a vontade de amigos e parentes, em virtude de sua mãe, que estava doente.

Yoani não pode acompanhar a blogosfera. O escasso tempo que tem de acesso a internet ela usa integralmente para postar seus textos ou enviá-los a alguém que possa faze-lo. Graças a seu blog, já recebeu alguns prêmios, tendo sido inclusive indicada como uma das 100 pessoas mais influentes no mundo pela Time, infelizmente, jamais teve permissão para sair do país para receber qualquer prêmio pessoalmente.

Em um post recente no seu blog, Yoani escreveu sobre sua indicação ao Prêmio Bitacoras, de uma forma que exprime em muito a essência de seu trabalho:
"Chegue ou não chegue, ganhe ou não ganhe, sinto-me como o corredor deficiente* que consegue alcançar a meta, ainda que o faça depois que todos passaram a linha de chegada. No meu caso, a marca não está em ter ido adiante, senão em vencer meus próprios demônios que me disseram tantas vezes “Deixa a carreira”, “Não vale a pena”, “Não podes fazer nada”.
Pois sim amigos, passamos a linha. Eu arrastando-me, vocês dando ânimo e alguns com insultos como incentivo. Lastimavelmente o estádio está meio vazio, pois faltam os que não podem acessar o sítio dentro de Cuba. À eles, para que comecem suas próprias maratonas, é consagrado este premio."
Talvez blogs não possam mudar o mundo, mas quem sabe não podem influenciar mudanças em uma pequena ilha socialista perdida no meio das Américas!
Se você quiser, pode ler uma versão traduzida do blog aqui!

21 de nov de 2008

O perigo do Ensino a Distância


Quando estava no ensino médio, meus professores diziam que na faculdade
ninguém te da o conhecimento, mas te mostram o caminho para chegar até ele.

Eles tinham razão. Encontros semanais durante um semestre não são
suficientes para abranger todo o conhecimento que algumas disciplinas
podem oferecer.

A faculdade tem sido para mim muito mais do que um um mero estabelecimento de ensino; a faculdade acabou se mostrando um verdadeiro local de aprendizado de vida. E pensar que quando terminei o Ensino Médio, nem estava cogitando começar de cara uma faculdade, e que se talvez, uma bolsa de estudos não tivesse literalmente me arremessado de encontro ao Ensino Superior, talvez eu jamais tivesse acesso a todo o conhecimento que tenho adquirido.

No entanto, percebo que para muitas pessoas, o principal objetivo de frequentar a faculdade, é o diploma que se recebe ao final do curso e não o conhecimento que se adquire ao longo dele.

Essas pessoas geraram uma grande demando por faculdades, onde os cursos precisam ser fáceis, rápidos e baratos e queEAD necessitem do mínimo comprometimento o possível por parte do estudante.Então surgiram os cursos de EAD (Ensino a Distância)

No início, a proposta dos EAD's era apenas oferecer condições de acesso aos estudantes que morassem muito longe de instituições de Ensino Superior ou que tivessem dificuldades de se deslocar até elas. Porém, percebo que várias instituições estão transformando seus cursos a distância em verdadeiros mercados de diplomas.

Quem nunca ouviu alguma propaganda, no rádio, na internet, nos outdoors e principalmente da televisão, de cursos que podem ser concluídos em apenas dois anos, com aulas a distância apenas uma vez por semana, com mensalidades muito baixas e você ainda ganha de brinde uma bugiganga ou livros de baixa qualidade.

O que eu me pergunto é: que tipo de profissionais este curso vai formar? Se nos cursos presenciais já vemos muitos estudantes desleixados e preguiçosos, imagine o que se vê em cursos onde o aprendizado é um mero detalhe.

Não pretendo ofender quem faz uso dos EAD's. Acredito que o principal responsável pela formação de um profissional é ele próprio e não a instituição de Ensino que ele frequentou os os professores com quem teve aula. Com dedicação, é possível ter uma boa formação quase que independente da instituição escolhida.

Na verdade, minha preocupação e com os estudantes que não vão correr atrás de uma boa qualificação. Estes estudantes vão ficar na área de conforto que as restrições de um curso de EAD oferecem. Então eu poderia até me perguntar: e porque eu deveria me importar com a formação que os outros vão ter. Pois eu respondo: eu preciso me preocupar porque no futuro, esses estudantes irão para o mercado de trabalho.

Eles serão o sobrinho do gerente do seu banco que vai fazer confusão com a sua conta, eles vão ser os funcionários públicos que trabalham de má vontade e não fazem a menos questão de contribuir para o bom andamento da gestão pública; eles serão os protegidos e puxa-sacos que se escondem atrás de um diploma para proteger seu cargo enquanto profissionais qualificados são deixados de lado.

Como diria Regina Duarte, tenho medo. Quando começarem a fazer cursos de medicina a distância, eu me mudo para o mato e só me consulto com um pajé índio da tribo dos Guaranis, que com certeza não se formou via tele curso.

16 de nov de 2008

Tira: nóis na tira

Já fazia um tempo que eu não postava nada sobre um dos meus maiores vícios: tirinhas e charges da internet.

A dica fica por conta do blog Nóis na Tira do Rodrigo Leão.




No blog existem tirinhas coloridas, nanquim com vários personagens. As minhas favoritas são as com os caras do Linux e Windows, mas também gosto bastante das tirinha mais existencialistas.

Fica a dica para quem quiser humor de alta qualidade em quadrinhos!

15 de nov de 2008

Amostras grátis, uma brincadeira pela internet


Nos últimos meses posso dizer que desenvolvi uma nova mania muito estranha: pedir brindes e amostras grátis pela internet.

O interessante desta brincadeira não é o valor ou a utilidade do que você recebe, mas sim o fato de recebê-lo. Parece besteira, mas sempre chego em casa me perguntando se o carteiro me trouxe alguma coisa.

Pra quem não sabe, existem vários sites e blogs na internet, direcionados a divulgação de empresas e links onde se pode pedir amostras e brindes. O Orkut então, é o paraíso dos aficionados por amostras grátis; existem várias comunidades dedicadas a troca de links e experiências entre os participantes.

Desde de que comecei com essa "coisa de pedir brindes", descobri vários cuidados que se deve tomar, como por exemplo: não fornecer dados bancários para cobrança (nunca acredite em promessa de cancelamento de cobranças), não fornecer mais dados do que o necessário, ter um e-mail só para receber os spams, que chegarão aos montes, não mentir só para conseguir os brindes (fingir que você tem uma empresa), tomar cuidado ao consumir as amostras recebidas (nunca recebi comida, mas não tenho certeza se comeria algo que viesse pelo correio).

Em uma das comunidades do Orkut encontrei um exemplo do que acontece com quem não toma os devidos cuidados:




Não sei até quando vou continuar com isso, quando eu enjoar, acho que eu paro; por enquanto, sigo esperando o carteiro.

14 de nov de 2008

Perdi meu template

Por causa de um erro bobo que eu cometi, perdi meu template. Junto com meu template perdi vários hacks que vinha implementando á muito tempo. Por isso, vou ficar com este template padrão do blogger até conseguir outro.

No futuro serie mais atento, pois não é muito bom ter o maior trabalho para implementar várias coisas e perde-las por simples falta de atenção.

: (

10 de nov de 2008

Nerds são melhores reprodutores


É isso mesmo que diz o titulo do post. A revista New Scientist, atestou que homens nerds possuem espermatozóides mais saudáveis que a media geral dos homens.

Segundo os pesquisadores, após uma bateria de testes para medir os níveis de inteligência dos participantes da pesquisa, constatou-se que os indivíduos mais inteligentes produziam quantidades maiores de gametas. Os indivíduos menos inteligentes, além de produzir menos gametas, tinham uma maior incidência de problemas de saúde.

Segundo alguns psicólogos que acompanharam a pesquisa, homens mais inteligentes tem mais chance de atrair mulheres que buscam involuntariamente, pelos melhores reprodutores( a critério de observação pessoal, gostaria de sugerir que esta teoria se aplica melhor se você for um gênio bilionário como o Bill Gates).

Então é isso ai garotas, vocês preferem um filho cheio de músculos e com cérebro de chuchu, ou um filho super dotado, com potencial de se tornar um milionário do mercado tecnológico. Se precisarem, podem me encontrar no telefone 9887...



Leiam a matéria da New Scientist que afirma que inteligência é sexy.


Referencia: Yahoo Tecnologia

9 de nov de 2008

O primeiro presidente...

Nesta última semana os Estados Unidos escolheram o primeiro presidente nem tão negro assim da história americana. Nestas eleições, três coisas me chamaram a atenção em especial.

Primeira:
O modo como a Globo tratou todo o processo eleitoral.

Me parece que descaradamente eles pretenderam super-valorizar um evento, o qual a Globo era a única emissora capaz de transmitir, de maneira completa. Não só a Globo, mas na internet, a vice de McCain, se tornou celebridade! Pergunte a um blogueiro se ele sabe quem é Sarah Palin; depois pergunte se ele sabe quem é o vice-presidente do Brasil?

Segunda:
O poder tecnológico de Obama.

Como profissional, estudante e entusiasta de tecnologia, achei incrível a forma como Obama quebrou paradigmas ao montar uma enorme estrutura computacional para sua campanha.

obamasite

Não estou só falando da internet. Não é segredo para ninguém que Obama parecia estar anos a frente de McCain quando o assunto era campanha via internet, na verdade, é provável que sem internet, Obama perderia a eleição; mas o que muita gente não sabe é sobre a mega estrutura de voluntários montada pelos responsáveis pela campanha e controlada pela internet e por gigantescos bancos de dados. A organização foi tanta, que as ligações para potenciais eleitores, realizadas por voluntários, raramente cometiam o erro de ligar duas vezes para a mesma pessoa. Trabalho com banco de dados e imagino o trabalho que deve ter sido organizar uma quantidade tão grande de informações a nível nacional.

Terceira
O contra senso em relação ao preconceito que tinha com os americanos.

Sempre acreditei que americanos valorizassem muito um passado militar, e por isso mesmo acreditava que o eleito seria McCain. Que quando os americanos fossem as urnas, se dessem conta que engajamento comunitário na ganharia guerras e não faria jorrar petróleo árabe sobre seus carros super poluentes, acabariam votando no velho soldado. Estava errado, parece que o tempo dos Iankes já passou nos Estados Unidos.

Respondendo a pergunta que o Kazuya me fez via meme, "Qual é a sua opinião em relação a vitória de Barack Obama?", só posso responder que não tenho uma opinião pronta.

Tenho apenas esperança que o novo presidente, nem tão negro assim dos Estados Unidos, transforme a nação devoradora da qual assumiu o poder. Espero que ele se de conta que estamos pagando um preço muito alto pelo consumismo mundial e que os Estados Unidos são essenciais para garantir que a especie humana siga vivendo neste planeta por mais alguns séculos.

Mais uma pergunta que me faço: seriamos nós brasileiros mais ou menos racistas que os americanos? Um candidato negro conseguiria se eleger presidente no Brasil?

3 de nov de 2008

IPhone Claro, mas não para mim


Estava eu no último sábado, cumprindo minhas obrigações de escravo contratado, quando uma solicita telefonista de tele-marketing me liga. Aparentemente ela queria me mostrar as vantagens de migrar o meu numero da Vivo, que era o celular para o qual ela ligava no momento, para a rede da Claro.

A tal portabilidade, chegou a poucos dias aqui no Sul e as empresas de telefonia celular parecem já estar se degladiando por clientes; fazendo uso inclusive de uma forma de propaganda que eu acho muito abusiva: ligar para um número que não pertence a sua carteira de clientes e um número que não foi fornecido para eles, já que nunca preenchi nenhum cadastro com meu número de celular permitindo que atendentes solicitas e cheias de gerúndios, com um leve sotaque nordestino, me ligassem para oferecer as incríveis oportunidades de migração.

Por inanição e por estar me perguntando como a Claro consegui meu número, não encerrei a conversa logo que ela começou com aquele papo furado de “O senhor já sabia que seu numero não precisa mais estar atrelado a uma única companhia de telefonia”, “O senhor já conhece as vantagens que a claro está oferecendo para os clientes que migrarem seus números para a nossa operadora” (notem que removi os gerúndios para poupa-los da tortura.

Logo ela me perguntou qual plano eu vinha usando no momento com minha atual operadora. Ai ela começou a me perguntar quais as funcionalidades do meu celular; como meu celular não renega o dono, ele é pré-pago mesmo e eu mal tenho créditos para falar, que dirá usar todas as suas funcionalidades. Ela então me perguntou se eu pretendia trocar de celular no momento e eu respondi que sim. Contei inclusive que estava de olho num IPhone e que a Vivo já havia me oferecido a troca do meu celular por um IPhone em um plano de R$90 mensais mais um aparelho custando 1499 reais á vista (sonha Teilor .... sonha ...).

Então a gentil tele-marketing me informou que o aparelho IPhone não estava disponível para a Claro, mas eu poderia adquirir uma série de telefones de última geração.

Este ponto em particular me chamou a atenção! Como assim o IPhone não estava disponível se a Claro vem escancarando uma enorme campanha publicitária do IPhone deste muito antes do seu lançamento no Brasil.

Se ela houvesse dito que o IPhone não estava disponível para MIM, eu até poderia compreender, já que constatei por mim mesmo que IPhones não são brinquedos para qualquer um, mas dizer simplesmente que o IPhone não estava disponível para a compra me soou muito estranho.

Infelizmente a ligação caiu (ou foi cortada) e eu não tive a oportunidade de indagar mais sobre o mistério do “IPhone que não é para todos.”

Alguém ai mais tem recebido ligações de operadoras tentando que você migre seu numero, ou sou só eu o azarado e perseguido por atendes de tele-marketing?

2 de nov de 2008

A super comunicação nos distancia ou aproxima?

Sempre me questiono se as ferramentas tecnológicas que temos em mãos para nos comunicarmos uns com os outros estão nos aproximando ou nos distanciando?

É claro que o fenômeno da super comunicação ao qual estamos sendo submetidos facilita a troca de idéias com outras pessoas. Temos a nossa disposição redes sociais, blogs, fotologs, fóruns e toda essa super oferta de possibilidade de nos comunicarmos com outras pessoas, que a Web 2.0 (odeio esse  termo) nos oferece.

Mas o que me questiono é, se todo esse poder comunicativo nos aproxima ou nos distancia mais como seres humanos. Não estou falando aqui daquele papo de psicólogo em entrevista para o Fantástico, onde se costuma afirmar que a tecnologia distancia as pessoas. O que eu quero dizer é que protegidos por equipamentos e longas distancias, costumamos criar perfis e padrões que não são realmente nossos. Criamos imagens que refletem mais aquilo que gostaríamos que os outros pensassem de nós, do que imagens que refletem o que realmente somos.

Nossas personalidades virtuais parecem mais simulacros de seres que almejamos ser, de personalidades e traços de caráter que gostaríamos de possuir do que de nós mesmos. Existe uma idéia de que protegidos pela web mostramos quem realmente somos, mas acredito que quando botamos nosso nome verdadeiro e nossa cara a tapa no material que publicamos na internet, tendemos a moldar nossas ações àquilo que queremos que pensem de nós.

Comecei a refletir(???) sobre estas questões apos ler um texto motivacional muito tocante. Não sou muito afeito a este tipo de mensagem mas gostei particularmente desta. Não encontrei o autor mas o texto foi encontrado no Motivacionais. Segue abaixo o texto na integra, quem tiver paciência, leia até o final.

Quando eu era criança, bem novinho, meu pai comprou o primeiro telefone da telefone_preto_antigonossa vizinhança.
Eu ainda me lembro daquele aparelho preto e brilhante que ficava na cômoda da sala. Eu era muito pequeno para alcançar o telefone, mas ficava ouvindo fascinado em quanto minha mãe falava com alguém.
Então, um dia eu descobri que dentro daquele objeto maravilhoso morava uma pessoa legal. O nome dela era "Uma informação, por favor" e não havia nada que ela não soubesse.
"Uma informação, por favor" poderia fornecer qualquer número de telefone e até a hora certa.
Minha primeira experiência pessoal com esse gênio na garrafa veio num dia em que minha mãe estava fora, na casa de um vizinho. Eu estava na garagem mexendo na caixa de ferramentas quando bati em meu dedo com um martelo.
A dor era terrível mas não havia motivo para chorar, uma vez que não tinha ninguém em casa para me oferecer a sua simpatia.
Eu andava pela casa, chupando o dedo dolorido ate que pensei:
O telefone!
Rapidamente fui ate o porão, peguei uma pequena escada que coloquei em frente a cômoda da sala.
Subi na escada, tirei o fone do gancho e segurei contra o ouvido.
Alguém atendeu e eu disse:
"Uma informação, por favor".
Ouvi uns dois ou três cliques e uma voz suave e nítida falou em meu ouvido.
"Informações."
"Eu machuquei meu dedo...", disse, e as lágrimas vieram facilmente, agora que eu tinha audiência. "A sua mãe não está em casa?", ela perguntou.
"Não tem ninguém aqui...", eu soluçava. "Esta sangrando?"
"Não", respondi. "Eu machuquei o dedo com o martelo, mas tá doendo..."
"Você consegue abrir o congelador?", ela perguntou. Eu respondi que sim.
"Então pegue um cubo de gelo e passe no seu dedo", disse a voz.
Depois daquele dia, eu ligava para "Uma informação, por favor" por qualquer motivo.
Ela me ajudou com as minhas dúvidas de geografia e me ensinou onde ficava a Philadelphia. Ela me ajudou com os exercícios de matemática. Ela me ensinou que o pequeno esquilo que eu trouxe do bosque deveria comer nozes e frutinhas. Então, um dia, Petey, meu canário, morreu.
Eu liguei para "Uma informação, por favor" e contei o ocorrido.
Ela escutou e começou a falar aquelas coisas que se dizem para uma criança que está crescendo. Mas eu estava inconsolável.
Eu perguntava: "Por que é que os passarinhos cantam tão lindamente e trazem tanta alegria pra gente para, no fim, acabar como um monte de penas no fundo de uma gaiola?"
Ela deve ter compreendido a minha preocupação, porque acrescentou mansamente:
"Paul, sempre lembre que existem outros mundos onde a gente pode cantar também..." De alguma maneira, depois disso eu me senti melhor.
No outro dia, lá estava eu de novo. "Informações.", disse a voz já tão familiar.
"Você sabe como se escreve exceção?"
Tudo isso aconteceu na minha cidade Natal ao norte do pacifico.
Quando eu tinha 9 anos, nós nos mudamos para Boston. Eu sentia muita falta da minha amiga. "Uma informação, por favor" pertencia aquele velho aparelho telefônico preto e eu não sentia nenhuma atração pelo nosso novo aparelho telefônico branquinho que ficava na nova cômoda na nova sala.
Conforme eu crescia, as lembranças daquelas conversas infantis nunca saiam da minha memória. Freqüentemente, em momentos de dúvida ou perplexidade, eu tentava recuperar o sentimento calmo de segurança que eu tinha naquele tempo.
Hoje eu entendo como ela era paciente, compreensiva e gentil ao perder tempo atendendo as ligações de um menininho.
Alguns anos depois, quando estava indo para a faculdade, meu avião teve uma escala em Seattle. Eu teria mais ou menos meia hora entre os dois vôos falei ao telefone com minha irmã, que morava lá, por 15 minutos. Então, sem nem mesmo sentir que estava fazendo isso, disquei o numero da operadora daquela minha cidade natal e pedi:
"Uma informação, por favor."
Como num milagre, eu ouvi a mesma voz doce e clara que conhecia tão bem, dizendo: "Informações."
Eu não tinha planejado isso, mas me peguei perguntando: "Você sabe como se escreve exceção?"
Houve uma longa pausa. Então, veio uma resposta suave: "Eu acho que o seu dedo já melhorou, Paul."
Eu ri. "Então, é você mesma!", eu disse. "Você não imagina como era importante para mim naquele tempo."
"Eu imagino", ela disse. "E você não sabe o quanto significavam para mim aquelas ligações. Eu não tenho filhos e ficava esperando todos os dias que você ligasse."
Eu contei para ela o quanto pensei nela todos esses anos e perguntei se poderia visitá-la quando fosse encontrar a minha irmã.
"É claro!", ela respondeu. "Venha até aqui e chame a Sally."
Três meses depois eu fui a Seattle visitar minha irmã. Quando liguei, uma voz diferente respondeu: "Informações."
Eu pedi para chamar a Sally.
"Você é amigo dela?", a voz perguntou. "Sou, um velho amigo. O meu nome é Paul",
"Eu sinto muito, mas a Sally estava trabalhando aqui apenas meio período porque estava doente.
Infelizmente, ela morreu ha cinco semanas",
Antes que eu pudesse desligar, a voz perguntou:
"Espere um pouco. Você disse que o seu nome é Paul?
"Sim",
"A Sally deixou uma mensagem para você. Ela escreveu e pediu para eu guardar caso você ligasse. Eu vou ler pra você".
A mensagem dizia: "Diga a ele que eu ainda acredito que existem outros mundos onde a gente pode cantar também. Ele vai entender",
Eu agradeci e desliguei. Eu entendi...
NUNCA SUBESTIME A "MARCA" QUE VOCÊ DEIXA NAS PESSOAS.

1 de nov de 2008

Excel, o poder das ferramentas que temos em mãos


Esta semana me surpreendi com o poder de uma ferramenta velha conhecida de quase todo mundo que já usou Windows, estou falando do Excel.

Até pouco tempo, achava que o Excel só servia para fazer aquelas planilhas básicas, com aquelas formulas chatas que eu nunca consegui decorar; depois eu descobri que o Excel possuía um interpretador/compilador em Visual Basic que permite criar verdadeiros programas sobre ele, existem até programadores Excel! Após isso descobri o poder das macros, e me surpreendi com o seu potencial, apesar de não saber exatamente como usá-las.

Mas esta semana eu vi mais uma ferramenta que me deixou de queixo caído. Na minha aula de Pesquisa Operacional, meu professor nos apresentou a ferramenta Solver do Excel. Com esta ferramenta podemos resolver problemas de logística, produção e outros que até aquele momento vínhamos resolvendo através de complexos modelos matemáticos no papel. A diferença da ferramenta e dos modelos que criamos, é que o Excel aceita problemas altamente complexos, que se fossem propostos para resolver no papel com um algoritmo Simplex, aumentaria em pelo menos 75% a evasão no curso de Ciência da Computação( que já não é pequena).

Mas então, hoje pela manhã, ao ler um dos meus blogs de tecnologia favoritos, o MeioBit, encontrei uma noticia sobre o Excel que eu achei inimaginável: a banda AC/DC está divulgando seu novo single através de um clipe criado em Excel! Isso mesmo, através da ASCII-Art, velha conhecida dos nerds, o AC/DC criou um clipe com áudio e vídeo(em ASCII) que pode ser assistido por qualquer pessoa que possua Excel instalado em seu computador e com a opção de executar macros habilitada. Não adianta tentar rodas no OpenOffice/BrOffice que não vai abrir, mas se quiser assistir mesmo assim ,a banda disponibilizou um vídeo no Youtube com o clipe. O vídeo pode ser assistido abaixo, mas recomendo realmente que você baixe o arquivo em Excel neste link, por que é impressionante o trabalho que foi feito.





Se quiser ver mais um exemplo de muito tempo livre ASCII-Art, vá a um computador com internet, clique em Iniciar –> Executar e digite telnet towel.blinkenlights.nl e dê um Enter. Você poderá então assistir á um dos episódios de Star Wars, todo feito em ASCII-Art!