9 de nov de 2008

O primeiro presidente...

Nesta última semana os Estados Unidos escolheram o primeiro presidente nem tão negro assim da história americana. Nestas eleições, três coisas me chamaram a atenção em especial.

Primeira:
O modo como a Globo tratou todo o processo eleitoral.

Me parece que descaradamente eles pretenderam super-valorizar um evento, o qual a Globo era a única emissora capaz de transmitir, de maneira completa. Não só a Globo, mas na internet, a vice de McCain, se tornou celebridade! Pergunte a um blogueiro se ele sabe quem é Sarah Palin; depois pergunte se ele sabe quem é o vice-presidente do Brasil?

Segunda:
O poder tecnológico de Obama.

Como profissional, estudante e entusiasta de tecnologia, achei incrível a forma como Obama quebrou paradigmas ao montar uma enorme estrutura computacional para sua campanha.

obamasite

Não estou só falando da internet. Não é segredo para ninguém que Obama parecia estar anos a frente de McCain quando o assunto era campanha via internet, na verdade, é provável que sem internet, Obama perderia a eleição; mas o que muita gente não sabe é sobre a mega estrutura de voluntários montada pelos responsáveis pela campanha e controlada pela internet e por gigantescos bancos de dados. A organização foi tanta, que as ligações para potenciais eleitores, realizadas por voluntários, raramente cometiam o erro de ligar duas vezes para a mesma pessoa. Trabalho com banco de dados e imagino o trabalho que deve ter sido organizar uma quantidade tão grande de informações a nível nacional.

Terceira
O contra senso em relação ao preconceito que tinha com os americanos.

Sempre acreditei que americanos valorizassem muito um passado militar, e por isso mesmo acreditava que o eleito seria McCain. Que quando os americanos fossem as urnas, se dessem conta que engajamento comunitário na ganharia guerras e não faria jorrar petróleo árabe sobre seus carros super poluentes, acabariam votando no velho soldado. Estava errado, parece que o tempo dos Iankes já passou nos Estados Unidos.

Respondendo a pergunta que o Kazuya me fez via meme, "Qual é a sua opinião em relação a vitória de Barack Obama?", só posso responder que não tenho uma opinião pronta.

Tenho apenas esperança que o novo presidente, nem tão negro assim dos Estados Unidos, transforme a nação devoradora da qual assumiu o poder. Espero que ele se de conta que estamos pagando um preço muito alto pelo consumismo mundial e que os Estados Unidos são essenciais para garantir que a especie humana siga vivendo neste planeta por mais alguns séculos.

Mais uma pergunta que me faço: seriamos nós brasileiros mais ou menos racistas que os americanos? Um candidato negro conseguiria se eleger presidente no Brasil?

Um comentário: