24 de jun de 2009

Bye, bye … Clark Kent

Eu ia escrever um texto lindo, de duas laudas, sobre o fim da obrigatoriedade do diploma para exercer a profissão de jornalista, mas ai percebi que poderia resumir minha opinião sobre o assunto em dois simples argumentos.

war-zone-2-journalist-cartoonEu sou a favor do fim da obrigatoriedade porque sei que existem muito jornalista dando carteiraço com o diploma, sendo que tem gente muito mais qualificada para trabalhar em veículos de mídia, mas acaba ganhando menos porque escolheu se especializar na área para a qual escreve e não em jornalismo em si; exemplos: tecnologia, direito, economia, ciências políticas. Além do que, a profissão de jornalista como conhecemos hoje está morrendo e este é apenas mais um prego no caixão.

Eu sou contra o fim da obrigatoriedade porque ela pode colocar profissionais despreparados no mercado e diminuir o salário de profissionais formados e bem preparados, que podem perder a motivação para exercer sua função social como comunicadores e acabar em trabalhos esdrúxulos, como revistas de fofocas ou no Balanço Geral ( se bem que as pautas do Balanço Geral devem ser escritas por um gorila no cio e o apresentador coloca algumas palavras no meio para parecer jornalismo).     

Se for do interesse de alguém, eu li alguns textos realmente bons sobre o assunto:

http://www.rafael.galvao.org/2009/06/de-jornalistas-e-ascensoristas/ (texto chato, mas muito bom, indicação do Alex Castro no seu blog)

http://www.interney.net/blogs/aomirante/2009/06/19/stf_derruba_a_obrigatoriedade_do_diploma/ (texto muito engraçado, fazendo algumas comparações que fazem bastante sentido)

http://msantuario.blogspot.com/2009/06/formacao-sim-com-diploma-no-fim.html (Santuario é professor de jornalismo da Feevale e foi um dos poucos jornalistas que não escreveu um monte de lamentações, condenando o povo brasileiro ao inferno jornalístico depois da decisão do fim da obrigatoriedade do diploma, parabéns a ele)

 

 

imagem

 

 

fxb63tn8ri

16 de jun de 2009

Quem teve essa idéia?


Sabe aquelas coisas que você fica pensando “que tipo de maluco pensaria nisso?”. Pois foi exatamente o que eu pensei quando vi esse vídeo.

Quando eu era criança, molas eram um brinquedo bastante popular, mas esse cara obviamente quis ir um pouco além na brincadeira.


Isso mesmo! Esse é mais um daqueles posts de quando eu não tenho nada para escrever.

10 de jun de 2009

Que tipo de Reality Show eu gostaria de ver

Vivo reclamando dos Reality Shows que passam na TV, mas ao contrário de boa parte das pessoas que também reclamam, eu não assisto esses programas.

Não assisto porque não tenho motivação para tal. Poderia até assistir pelas gostosas que costumam freqüentar este tipo de atração, mas prefiro esperar e ver os compactos na internet, com todas as pagações de peitinho ou mesmo, esperar a playboy chegar às bancas.

Fala sério! Reality show no Brasil é muita armação; eu consigo até imaginar aqueles caras da Globo planejando como seria o BBB quando compraram o formato da Endemol.

Financeiro: E aí Boninho. Fechamos a compra daquele Reality Show que ta fazendo o maior sucesso lá fora.

Boninho: É mesmo! E como é que funciona a bagaça?


Financeiro: A gente constrói uma casa e enche ela de câmeras, põe um monte de gente dentro e fica filmando 24 horas por dia, o publico vota em quem vai sair e quem sobrar por último, ganha um prêmio em dinheiro... tipo... uns 0,5% do que gente arrecadar com o programa.


Boninho: Gente confinada e filmada 24 horas por dia? Parece bom. Mas que tipo de gente?


Financeiro: Sei lá. Gente comum!


Boninho: Não, não, não! Gente comum não faz sucesso no Brasil. Vamos encher a casa com umas gostosas e uns playboys. Isso sim dá audiência.


Financeiro: Mas o formato original prevê gente comum... sabe... para o público se ver na TV e se identificar com os participantes.


Boninho: Se as pessoas verem pessoas como elas na TV vão achar que estão assistindo cobertura de enchente ou tiroteio em favela. Vamos por só gente sexy e racionar o uso de roupas dentro da casa.

Financeiro: Ok então. Temos que pensar que tipo de tarefas os participantes vão realizar. Tipo alguns jogos para decidir a divisão da comida e os indicados para eliminação.


Boninho: Pode ser. Mas tem que ser provas fáceis, do tipo “gincana no jardim da infância”. Nada muito difícil porque eu não quero ter de favorecer cérebro em lugar de bunda.

Financeiro: Pode ser então. Afinal de contas tu é o cara que entende da criação. Temos que encontrar também um apresentador para comandar o programa. O que você acha do Luciano Huck?


Boninho: Não é mal, mas eu tava pensando em alguém mais dramático. Já sei! Vamos colocar o Pedro Bial. O cara já cobriu guerras e viajou pelo mundo. Vai passar uma impressão de programa sério.

Financeiro: Boa idéia. Então eu vou começar a divulgar a seleção dos participantes. Vamos fazer como manda o formato original; as pessoas mandam uma fita falando de si e a gente escolhe as que vão participar.

Boninho: O que!?!?!? Só o que me falta ter que ficar assistindo um monte de vídeos de um bando de Zés ninguém. Pega lá os mais ajeitadinhos que não passaram naqueles testes pra figurante da Malhação. Quanto menos talento e mais descartáveis forem os participantes melhor; assim o programa pode durar uns 10 anos e a gente não vai ter agüentar um monte de pseudo celebridades no nosso pé, até porque, de estrelinha sem talento, a Globo já ta cheia até demais.

Quadrinho que expressa bem minha opinião sobre o BBB



Sabe que tipo de Reality Show eu gostaria de ver? Técnicos no limite. Ou qualquer outro nome idiota para um reality show sobre suporteiros em informática e programadores

Isso sim é Reality Show para mim. Isso sim é gente como a gente.

Imagina como seriam emocionantes os programas.

Técnicos tendo que enfrentar a batalha diária com os usuários. O enfrentamento com aquele usuário que teima em ter razão apesar de todas as evidencias contrarias.

A desilusão de percorrer vários quilômetros para descobrir que o problema do cliente era apenas o NumLock desligado.

A raiva daquele usuário que acha que o computador tem que pensar por ele e ainda fazer um cafezinho no final do dia.

O stress gerado por aquele projeto que o cliente muda as especificações a cada 30 minutos e liga para reclamar que a entrega do projeto está atrasada a cada 20 minutos.

A decepção com a raça humana quando aquele usuário diz que tem um primo “entendido de computador” que afirmou que você está cobrando o dobro do que vale seu serviço.

Isso sim é realidade para mim! Mas haverá um programa assim na televisão brasileira? Claro que não! Os Boninhos das emissoras sabem que peitos e bundas vendem bem no Brasil e, como em time que está ganhando não se meche, vai ficar tudo como está.

Wharever, eu prefiro seriados mesmo.

9 de jun de 2009

Apenas perguntas com os Improváveis


O João já tinha me falado desta brincadeira, mas eu não tinha me dado conta de como por ser engraçado, tanto para quem está participando, quanto para quem está assistindo, até encontra um vídeo da Cia. Barbixas de Humor, do espetáculo "Improvável".

Trata-se de manter um dialogo apenas com perguntas; quem demorar demais ou não conseguir responder perde e dá lugar para outro. Não entendeu? Olha o vídeo...


Só posso dizer que ficou muito engraçado.




Encontrei no blog Nova Blumenau

6 de jun de 2009

Tironas, mais que tirinhas

Mais um blog para a coleção de webcomics que eu posto por aqui. Tironas é o nome do blog.



Sempre que eu via estes webcomics com personagens de palito, eu pensava em como deveria ser fácil fazê-los. Até o dia que eu resolvi criar um e ficou uma merda.

5 de jun de 2009

Quer divulgar seu trabalho? Mostre a bunda


Pelo menos se você for um cineasta excêntrico e estiver interessado em divulgar seu novo filme.

Já tinha falado aqui do novo filme de Sasha Baron Cohen; e como com esse cara maluco, tudo tem que ser feito de forma diferente e meio bizarra.

Sacha resolveu divulgar seu novo filme de uma forma bem diferente: caindo na cabeça do Eminem. Tudo não passou de uma farsa muito bem armada, como da vez que ele tentou ensacar a Pamela Anderson (literalmente).

Abaixo o vídeo da última performance de Sacha no MTV Movies Awards.

 

Como vocês podem notar, Eminem sai todo irritadinho da premiação, mas tudo não passou de uma armação; isso até que ficou meio óbvio, considerando que é meio difícil um rapper levar uma bundada de um cara que acha que é modelo da Victoria's Secret e deixar por isso mesmo.

Dia 10 de Julho estréia o novo filme de Sacha, e apesar de achar difícil que ele consiga superar Borat, estou ansioso para assistir.

Por mais bizarros e escatológicos que sejam os filmes do cara, eu acredito que ele desenvolve as criticas mais sinceras contra a cultura americana que eu já vi.