24 de out de 2009

Tirinhas: Nebulosa Nerd’s Bar

Então vocês não sabiam que um dos meu passatempos favoritos é procurar webcomics na internet?
Pois aqui vai mais uma que eu achei simplesmente fantástica. São as tirinhas do blog Nebulosa Nerd’s Bar:
borgs
Já deu para perceber que o tema das tirinhas é principalmente o mundo-nerd. O Autor, que se auto-denomina Cafe­tron, é físico e engenheiro ambiental. Muitas das tirinhas são sobre física e ainda se encontra alguma coisa relacionada a computação, tipo:
vicios
O Nebulosas Nerd’s Bar, além de tirinhas, também é um blog que vale muito a pena. Na verdade estou lendo agora.

#Recomendo

13 de out de 2009

Eu defendo e aprovo Aline

Aline Rede Globo Eu li em um blog por ai uma critica bastante azeda ao seriado Aline, que passa na Rede Globo, as quintas-feiras depois de A Grande Família. A justifica para criticar o seriado, é o fato de mostrar abertamente a relação de uma garota e seus dois namorados.

Algumas pessoas podem achar promíscuo uma garota com dois namorados, mas eu penso que isso é totalmente normal.

O politicamente correto é uma coisa muito estranha quando subvertido. A história de Aline e seus dois namorados não é original, afinal de contas, Jorge Amado já explorou o tema em um dos seus mais famosos romances: Dona Flor e seus dois maridos.

Acho que está na hora da pessoas perceberem a diferença entre uma relação promíscua e uma relação liberal. Na verdade, nem deveria existir o termo "relação liberal".

Toda relação é valida desde que seja saudável. E quem enche a boca para dizer que os valores de antigamente estão se degradando, deveria perceber que os valores de antigamente pregavam uma relação de submissão da mulher em relação ao homem.

E se você não assistiu ainda Aline, eu recomendo. O seriado é baseado no personagem Aline do Adão Iturrusgarai, de uma forma um pouco restrita, é claro. Aline é bobinha, engraçada, mulherzinha, com um roteiro meio desconexo, mas mesmo assim vale muito a pena. Se existissem mais programas assim na TV aberta, talvez a juventude brasileira não fosse tão estupida, inculta e reacionária quanto é hoje.

E só para vocês saberem, a Aline da Rede Globo é uma Santa comparada com a Aline original.

aline-2782

9 de out de 2009

Eu sou burro e confesso. Vamos ser burros juntos?

Brasileiro é um povinho muito burro mesmo!

E se você leu esta última frase e pretende correr para os comentários, para em mandar ir vender meu corpo nos EUA e deixar o seu amado e idolatrado país, leia o texto até o final, pois este post é para você mesmo. Prometo não te deixar mais burro do que já és.

Então como eu disse no título, sou burro e assumo, mas também vou aproveitar para assumir outra característica minha, bem odiosa por sinal: eu assumo meus defeitos abertamente, e as vezes assumo minha ignorância. Mas antes que você pense que sou um Santo Ignácio, quero explicar o porque de chamar este hábito de odioso.

Quando confesso meus defeitos, e os exponho abertamente, não estou falando só de mim, estou falando também de quem me cerca. É como uma grande piada, onde só eu percebo a graça. Explico para alguém os meus defeitos, mas na verdade estou explicando os nossos defeitos, e me divirto porque meu interlocutor não se apercebe que estou falando dele mesmo. O meu egocentrismo é grande demais para ser visto de perto, então cuidado, porque quando falar comigo provavelmente vou estar debochando de você, me fazendo passar por idiota até, só para rir de ti. Poisé, sou muito debochado e não tenho compromisso com nada mesmo.

Mas então eu estava falando que os brasileiros são burros. Obviamente como sou brasileiro, devo ser igualmente burro; a não ser que meus pais tenham me roubado de alguma maternidade argentina, porque ai seria uma mula completa.

Mas porque eu estou me assumindo burro?

Acho que um bom motivo é porque não lembro em quem votei para Senador nas últimas eleições. Sério! Isso deve ser muita burrice minha, porque o Senado Federal está cheio de crápulas e não consigo me lembrar em qual dos crápulas eu votei; com certeza não foi no ladrão alagoano e nem no coronel bigodudo - como já disse antes, não sou uma mula castelhana - mas então em quem será que foi?

Eu poderia ser um pouco chato e perguntar para cada um que reclama dos escândalos  políticos que assiste no Jornal Nacional, em quem votou para Senador, mas as pessoas não gostam de caras chatos. Então fazemos assim: eu digo que não sei em quem votei para Senador, reclamo das mazelas políticas que acontecem no Senado enquanto tomo uma cerveja no bar e nós fingimos que estamos falando só de mim. OK?

Ai poderíamos aproveitar e falar da educação dos nossos filhos. Eu não tenho filhos, mas como já estou desvelando meus defeitos, assumo talvez ter algum bacuri por ai, perdido em alguma bebedeira. Ai poderíamos falar de como antigamente os filhos obedeciam os pais, um ‘NÃO’ era um ‘NÃO’ e pronto! Naquele tempo existia autoridade, blá blá blá...

- Mas olha ali o Pedro Henrique rabiscando a parede! Que menino inteligente! Trás a câmera que nós precisamos tirar uma foto. Aproveita e trás uma lata de tinta, vou mostrar para o garoto como pichar o muro do vizinho, colocar a marca de MulequePiRAnhaSAnGueBom dele na propriedade alheia. E quer saber, pro inferno com tudo(!)... trás também um baseado, porque se não matou o papai, com certeza não vai matar o filhinho. Além do que, aquele cara em que eu votei ... qual era o nome mesmo(?)... mas então, esse cara garantiu que vai aprovar uma lei, para garantir que usuário de maconha não seja mais considerado criminoso.

Mas então eu estava falando de como sou burro, não é mesmo? É claro que é! E a máxima prova de minha estupidez, é que vivo cercado de coisas erradas, não faço nada para mudar e ainda finjo que tá tudo certo. Ou eu sou muito burro ou sou muito cínico. Mas cinismo é assunto para outro post...


matou a familia

imagem: Adão


Este post foi inspirado pelo texto A ONU provou hoje que o brasileiro é burro. Mas quem lê este blog é inteligente do André Forastieri e por uma excelente garrafa de vinho argentino - malditas mulas argentinas!

4 de out de 2009

Yoani Sánchez - um blog não é só um 'blog'

A Veja dessa semana (edição 2133 de 07/10/2009) trás uma entrevista com a blogueira cubana Yoani Sánchez. Mas chamar essa mulher de blogueira pode até ser ofensivo, dependendo de quem estiver lendo este texto, afinal de contas, nos acostumamos a ver o blogueiro como aquele cara bonachão ou aquela menina antenada com tecnologia, como aquela pessoa que sempre nos diz qual é o vídeo do momento no Youtube, qual o último hype da internet ou tece seus comentários ácidos e sofistas aos quais todos os outros blogueiros e aprendizes tecem  os seus melhores elogios ou as mais arraigadas criticas (fruto da inveja muitas vezes).

Yoani SánchezSeria mais correto dizer que Yoani Sánchez é mais que uma blogueira, e já expliquei isso neste post, e que seu blog, o Generación Y é bem mais que um blog, pois se mostra como um diário da vida cubana, como um retrato frio mas ao mesmo tempo cheio de poesia sobre como é a realidade nesta pequena ilha, meio esquecida do mundo, de onde escutamos muitas lendas e fantasias e muito poucas verdades.

Todos sabemos (e se você não sabe estou te contando agora) que a linha editorial da Veja deixa muito a desejar quando se trata da imparcialidade que se espera do jornalismo politico, mas mesmo assim, não deixo de acreditar nas verdades ditas por Yoani em sua entrevista.

Quando estava no Ensino Básico, tinha uma professora que afirmava que as escolas de medicina cubanas estavam entre as melhores do mundo e que muito disso era fruto da ideologia socialista aplicada ao ensino na ilha. Durante o Ensino Médio tinha um professor de história que ostentava com orgulho camisetas com a face de Che Guevara, pois afirmava que o mesmo tinha sido o maior herói da América Latina; pois acreditei nisso até saber que este mesmo Che tinha outras facetas, como por exemplo o de um frio assassino, que não hesitava em matar em nome de seus ideais políticos. Acho que se as pessoas conhecessem mais precisamente a história, seriam mais cuidadosas ao levantar bandeiras e ostentar símbolos.

Pois Yoani deixa claro em sua entrevista que muitas das ditas conquistas da revolução não passam de propaganda politica ou histórias de um passado quando a extinta União Soviética injetava recursos no país. Existem sim boas escolas de medicina, mas a carreira de médico é bem pouco atrativa nos dias atuais, a situação dos hospitais e da saúde pública é tão lastimável que fariam qualquer brasileiro amar aquela fila do SUS que eventualmente tem que enfrentar para conseguir uma consulta.

No fim das contas, o governo cubano é apenas o mais do mesmo que vemos em todos os governos sul americanos: corrupção, ideologias, messianismo politico e tudo isso coberto com uma capa socialista e cercado por um muro que isola seus habitantes do resto do mundo.

São exemplos como os da Yoani que me fazem, de vez em quando, deixar de lado assuntos mais crassos, como a bunda da Juliana Paes, para tratar de assuntos mais sérios. Porque a maioria dos cubanos pode até nem saber o que é um blog, pois a internet é praticamente proibida a população, mas um dos melhores e mais respeitáveis blogs que conheço é escrito em Cuba e sobre Cuba.

 

… . . .. ….. … .. … . …. . . . .. .. . .. . .… . . .. ….. … .. … . …. . . . .. .. . .. . .… . . .. ….. … .. … . …. . . . .. .. . .. . .

Yoani foi entrevistada pela Veja em ocasião de ter sido convidada a falar no Senado brasileiro e a comparecer ao lançamento de seu livro De Cuba, com Carinho (Contexto), em São Paulo, a permissão do governo para que ele participe destes eventos provavelmente será negada, como todas as outras que ela já pediu. Você pode ler a entrevista da Veja aqui (acho que precisa de cadastro)

Existe também uma versão traduzida do Generación Y para o português.