9 de out de 2009

Eu sou burro e confesso. Vamos ser burros juntos?

Brasileiro é um povinho muito burro mesmo!

E se você leu esta última frase e pretende correr para os comentários, para em mandar ir vender meu corpo nos EUA e deixar o seu amado e idolatrado país, leia o texto até o final, pois este post é para você mesmo. Prometo não te deixar mais burro do que já és.

Então como eu disse no título, sou burro e assumo, mas também vou aproveitar para assumir outra característica minha, bem odiosa por sinal: eu assumo meus defeitos abertamente, e as vezes assumo minha ignorância. Mas antes que você pense que sou um Santo Ignácio, quero explicar o porque de chamar este hábito de odioso.

Quando confesso meus defeitos, e os exponho abertamente, não estou falando só de mim, estou falando também de quem me cerca. É como uma grande piada, onde só eu percebo a graça. Explico para alguém os meus defeitos, mas na verdade estou explicando os nossos defeitos, e me divirto porque meu interlocutor não se apercebe que estou falando dele mesmo. O meu egocentrismo é grande demais para ser visto de perto, então cuidado, porque quando falar comigo provavelmente vou estar debochando de você, me fazendo passar por idiota até, só para rir de ti. Poisé, sou muito debochado e não tenho compromisso com nada mesmo.

Mas então eu estava falando que os brasileiros são burros. Obviamente como sou brasileiro, devo ser igualmente burro; a não ser que meus pais tenham me roubado de alguma maternidade argentina, porque ai seria uma mula completa.

Mas porque eu estou me assumindo burro?

Acho que um bom motivo é porque não lembro em quem votei para Senador nas últimas eleições. Sério! Isso deve ser muita burrice minha, porque o Senado Federal está cheio de crápulas e não consigo me lembrar em qual dos crápulas eu votei; com certeza não foi no ladrão alagoano e nem no coronel bigodudo - como já disse antes, não sou uma mula castelhana - mas então em quem será que foi?

Eu poderia ser um pouco chato e perguntar para cada um que reclama dos escândalos  políticos que assiste no Jornal Nacional, em quem votou para Senador, mas as pessoas não gostam de caras chatos. Então fazemos assim: eu digo que não sei em quem votei para Senador, reclamo das mazelas políticas que acontecem no Senado enquanto tomo uma cerveja no bar e nós fingimos que estamos falando só de mim. OK?

Ai poderíamos aproveitar e falar da educação dos nossos filhos. Eu não tenho filhos, mas como já estou desvelando meus defeitos, assumo talvez ter algum bacuri por ai, perdido em alguma bebedeira. Ai poderíamos falar de como antigamente os filhos obedeciam os pais, um ‘NÃO’ era um ‘NÃO’ e pronto! Naquele tempo existia autoridade, blá blá blá...

- Mas olha ali o Pedro Henrique rabiscando a parede! Que menino inteligente! Trás a câmera que nós precisamos tirar uma foto. Aproveita e trás uma lata de tinta, vou mostrar para o garoto como pichar o muro do vizinho, colocar a marca de MulequePiRAnhaSAnGueBom dele na propriedade alheia. E quer saber, pro inferno com tudo(!)... trás também um baseado, porque se não matou o papai, com certeza não vai matar o filhinho. Além do que, aquele cara em que eu votei ... qual era o nome mesmo(?)... mas então, esse cara garantiu que vai aprovar uma lei, para garantir que usuário de maconha não seja mais considerado criminoso.

Mas então eu estava falando de como sou burro, não é mesmo? É claro que é! E a máxima prova de minha estupidez, é que vivo cercado de coisas erradas, não faço nada para mudar e ainda finjo que tá tudo certo. Ou eu sou muito burro ou sou muito cínico. Mas cinismo é assunto para outro post...


matou a familia

imagem: Adão


Este post foi inspirado pelo texto A ONU provou hoje que o brasileiro é burro. Mas quem lê este blog é inteligente do André Forastieri e por uma excelente garrafa de vinho argentino - malditas mulas argentinas!

9 comentários:

  1. então eu sou idiota elevado ao quadrado, porque iara nao se lembra em quem votou pra deputado federal e estadual.
    :(
    Senador eu lembro.

    ResponderExcluir
  2. Pois estão você está melhor que eu @Iara, porque eu só lembro em quem votei para presidente e prefeito

    ResponderExcluir
  3. Acho que isso faz parte de ser humano, ser errado e assumir. Diferente dos animais, que são errados e maus por instinto.

    Pois então, eu não votei pra senador. Que eu me lembre a primeira vez que votei foi em 2006, pra Presidente/Deputados/Governador. Se tinha senador, eu anulei, de certeza. =P

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Hunm..
    Tenho memória ruim mesmo... Assumo isso...
    Mas me lembro que anulei o voto para senador!! :)

    ResponderExcluir
  6. Ahahaha adorei sua crônica. Show de bola!

    ResponderExcluir
  7. Putz! É o segundo post que leio e já tenho certeza absoluta que vale a pena assinar o feed. Muito boa a crônica, adorei e já twittei.
    Ah!... também não sei em que votei na eleição passada... como sou burro (ou estupido)...

    ResponderExcluir
  8. Eu já até desisti do sistema político brasileiro. Só voto nulo. Não adianta escolher. As décadas passam e é sempre tudo igual.

    ResponderExcluir
  9. ...... trás também um baseado, porque se não matou o papai, com certeza não vai matar o filhinho. ...


    ?????????????????????????

    ResponderExcluir