1 de jun de 2010

Infelizmente estou encerrando o blog Without Brain.

Este blog já vinha agonizando a algum tempo, apesar das mudanças de layout e da recente adoção de um domínio próprio. Sinto que não tenho mais nada de relevante para escrever neste espaço.

Outro fator que incentivou o fim do blog é a mesma redefinição de prioridades que me levou a desativar – mas não excluir – a minha conta do Twitter; existem muitos assuntos no mundo offline sob minha responsabilidade e eu preciso garantir que esses assuntos recebam a devida atenção.

Quem sabe quando  eu tiver menos tempo faltando – porque tempo disponível eu não tenho faz tempo – eu crie um novo blog, ou talvez eu me dedique a outros blogs que provavelmente quem lê o WBrain não conhece, não sei...

Obrigado aos amigos que já gastaram o seu tempo lendo meus posts, espero que meu estilo de escrever rebuscado, prolixo e as vezes não muito conexo não os tenha cansado demais.

Sempre achei essa coisa de escrever post informando o fim de um blog meio estúpido e estou fazendo isso agora :]

PS.: ainda ajudarei no fórum do Blogger (ajudem também), pois embora este blog tenha chegado ao fim, tenho outros projetos em que uso o Blogger.

PS2.: o blog continua on-line enquanto os paraquedistas continuarem caindo nele.

24 de mai de 2010

The IT Crowd: assisto e recomendo

Se você nunca assistiu nenhuma série britânica pode estranhar um pouco o humor em The IT Crowd - eu estranhei e quase desisti do seriado - mas bastaram alguns episódios para a série ganhar minha atenção.

O foco da série é o departamento de TI de uma grande empresa, onde os funcionários Moss e Roy trabalham em condições de trabalho nada apreciáveis, e as coisas não melhoram para os dois quando Jen, que não entende nada de TI, chega para assumir a chefia do departamento.

A série mostra os conflitos dos dois nerds com o resto da empresa e o desespero
de Jen ao assumir um departamento com o qual ela não se identifica.

image
Que técnico de suporte já não cansou de dar sempre as mesmas respostas ao usuários e pensou em colocar uma secretária eletrônica para atender as chamadas - eu já pensei. Esse é o tipo de coisa que vemos em The IT Crowd.

O que eu mais gosto de The IT Crowd são as situações absurdas em que os personagens se metem e a forma insuspeita como eles chegam até elas.

Se você der uma chance a série garanto que vai se divertir muito e dar boas gargalhadas.



E um fato interessante sobre o programa é que The IT Crowd foi a primeira série a disponibilizar o download dos episódios na internet antes da exibição oficial na televisão.
Se quiser mais informações sobre seriado recomendo que visite o link abaixo.

http://www.vivaolinux.com.br/artigo/A-vida-de-quem-vive-de-TI-It-Crowd

16 de mai de 2010

Flash Forward : assisto e recomendo

Este blog anda muito parado, não tenho tido muito tempo para brincar de ser blogueiro ultimamente, então vou começar uma nova 'coluna' aqui para escrever sobre seriados, já que assisti-los tem sido um dos meus passatempos mais usuais quando tenho uma folga - o que é bem raro.

E começo hoje falando sobre Flash Forward.

No dia 6 de outubro de 2009 todas as pessoas do mundo simplesmente apagaram por exatamente 2 minutos e 17 segundos; enquanto essas pessoas estavam desmaiadas puderam ter um vislumbre do seu futuro, mais exatamente um vislumbre do dia 29 de abril de 2010. Obviamente os 2 minutos e 17 segundos foram suficientes para causar uma enorme catástrofe global; muitas pessoas morreram, muitas outras ficaram feridas e quem sobreviveu acordou com o caos ao redor de si sem saber de imediato o que havia acontecido. As 'visões' do futuro receberam o nome de Flash Forwards e se você assistir o seriado vai ouvir muito a frase 'In my flash forward...'

O FBI quer saber como o Apagão aconteceu, porque aconteceu e quem foi ou quem foram os culpados por ele. As principais pistas são os próprios flash forwards, principalmente o do agente Mark Benford, que se viu investigando o caso em seu escritório no dia 29 de abril.

Essa premissa simplesmente absurda e até mesmo boba dá inicio a um dos melhores seriados de ação/mistério que eu já vi nos últimos anos. 

A série nos faz imaginar o que faríamos se de repente pudéssemos saber o nosso futuro, onde estaríamos em seis meses, quem seríamos. A série também nos faz pensar na questão do livre arbítrio e até que ponto nossas escolhas são responsáveis pelo nosso futuro. Aliás, a questão do livre arbítrio e levantado a todo momento na série e se torna uma preocupação constante dos personagens.

Os mistérios que precisam ser desvendados ao longo da trama, as revelações que nos tiram o folego em alguns momentos, a veracidade dos agentes e do escritório do FBI – assisti Frasier esses dias e até me senti desconfortável com os agentes do FBI totalmente irreais – todos esses aspectos e muitos outros tornam o seriado altamente apreciável.

Infelizmente o canal ABC parece estar querendo cancelar a série e provavelmente fará o anúncio oficial na próxima Terça (18/05). Espero que o eminente cancelamento não force os produtores e roteiristas a fazerem um final medíocre para série, que já deu pistas de ter muita história para contar se lhe for permitido ter o tempo necessário para tal.

Abaixo um vídeo promo da série:

Se você estiver procurando um bom seriado com ação e mistério, recomendo fortemente Flash Forward.

----
Assim que arrumar um tempo escrevo sobre outros seriados que estou assistindo ou já assisti, e se você tiver algum para me recomendar não se acanhe de coloca-lo nos comentários.

8 de mai de 2010

Como vender livros para trouxas


Sempre sonhei em ser escritor mas acabei virando blogueiro e se você também já se imaginou como um autor de best-sellers de sucesso, sendo aplaudido pelo público e odiado pelos críticos, leia abaixo 5 dicas de estilos e assuntos para escrever e vender livros para trouxas e se tornar um escritor de relativo sucesso.

Emagrecimento

Se o mal do século é a obesidade, o baú do tesouro do mercado literário dos últimos anos são os livros que ensinam a emagrecer. Basta inventar uma técnica totalmente esdrúxula e sem nenhuma comprovação científica para perder peso; tente algo com um apelo místico, tipo "Emagrecendo conforme seu Signo". Vai vender mais que bacon frito em saída de spa.

Auto-ajuda

Esse é um clássico que não sai de moda. Existe muita gente no mundo ansiosa por aprender a viver melhor e mais feliz  seguindo os ensinamentos de algum cara totalmente desconhecido e sem nenhuma formação acadêmica adequada para ensinar qualquer coisa. Se não quiser ter trabalho escrevendo seu livro, apenas copie autores 'famosos' do gênero, seus leitores em potencial nem vão perceber.

Aposte nos adolescentes, principalmente nos mais burrinhos.

Escreva uma história romântica, do tipo que condiz com a mentalidade de uma garota de onze anos com um sério problema de retardo mental. Coloque diálogos fáceis e um enredo mais manjado do que o de Malhação. Destrua a imagem de personagens clássicos, como por exemplo vampiros e lobisomens lhes atribuindo personagens rasos, burros e que de preferência pareçam emos e consumidores compulsivos de anabolizantes. Com sorte, seu livro pode acabar virando um filme.

Auto-medicação com receitas caseiras

Escreva um livro cheio daquelas receitas caseiras da sua avó para todo tipo de doença e mal. Abacaxi para menopausa, chá de eucalipto para a caspa, abobrinha para infecção urinária. Esse tipo de livro é a bíblia da dona-de-casa de classe média e pode ser eternamente reeditado. Vender de porta em porta pode ajudar no sucesso deste tipo de livro.

Religião e auto-ajuda disfarçada de aventura mística.

Escreva livros narrando histórias que você nunca viveu, contando passagens místicas da sua vida que nunca aconteceram. Misture a história com auto ajuda, mas jamais admita que seus livros podem ser considerados auto-ajuda. Force sua entrada em academias literárias onde você não merece estar. Tenha em mente que o povo sempre compra qualquer coisa que seja fácil de ler e que os faça se sentir intelectuais e literatos. Sucesso será seu segundo nome.

coelho30b
Sigam o exemplo do mestre. Vejam como ele faz sucesso

Obs.: Se você se sentiu ofendido por este texto, que bom, era isso mesmo que eu queria :).

Obs2.: Este texto tem objetivos humorísticos.

Obs3.: Só pra ver se você continua lendo....

Lady Gaga é cultura, sim senhor!


No fim das contas os humanos não passam de macacos de imitação. Somos treinados para selecionar e avaliar os comportamentos de nossos semelhantes e decidir o que é melhor e deve ser imitado. A partir dessa premissa, podemos decidir imitar aqueles que não perdem a chance de cair num 'batidão do funk' ou aqueles que só sabem repetir como a sociedade está decadente, que não existe mais cultura entre os jovens e todo aquela verborréia típica dos que querem se diferenciar da grande massa e mostrar que são mais inteligentes que o resto dos macacos da jaula.

Não que eu aprove o funk! Já disse antes que o funk não passa de uma dança do acasalamento um pouco mais moderna; mas … 'e daí' que o objetivo primordial do funk é se exibir para possíveis parceiros sexuais; quase tudo que o ser-humano faz é para se exibir para seus possíveis parceiros. Até a 'meritocracia informal' na internet é uma forma de exibição - a quantidade de blogueiros se gabando do tamanho do seu PR por ai prova isso.

Mas o que a Lady Gaga tem a ver com isso? Bem, ela tem muito a ver com isso.

 lady gaga_corpse A garota é bizarra mesmo


Pra quem não sabe, essa moça Lady Gaga, é um dos ídolos pop da atualidade. E embora a única coisa que eu me lembre de ter escutado dela tenha sido uma interpretação de Poker Face pelo Cartman de South Park, eu não me envergonho em admitir: Lady Gaga é CULTURA e com letra maiúscula.

Virou moda (ou sempre foi moda) entre aqueles que se consideram intelectuais e bem informados, tratar qualquer produção artística contemporânea que faça o mínimo de sucesso como lixo pop. Essas mesmas pessoas gostam de chamar de cultura um cara tocando violão para meia dúzia de estudantes 'socialistas/comunistas/pedantistas'. em um boteco fedorento de porta de faculdade.

O que esses indivíduos não se dão conta, é que a cultura é muito mais ampla do que sua mente pequena pode apreender. Cultura envolve todo um processo de criação artístico e a identificação de uma população de indivíduos com essa arte. Da mesma forma que danças tribais representam uma forma de cultura entre índios isolados da 'civilização' em alguma aldeia da Amazônia, Lady Gaga representa a cultura de tribos urbanas, que não se distanciam uma das outras por sua posição geográfica, mas sim pela ordem de costumes estabelecida entre seus membros.

O que estou tentando dizer é que é muito fácil imitar aqueles que se julgam inteligentes demais para aceitar que musica pop seja cultura, e acabar condenando qualquer artista ao escrutínio intelectual, só porque a arte do mesmo tem um apelo mais popular.

Zeca Camargo, um dos poucos jornalistas que admiro, entrevistou Lady Gaga e escreveu dois excelentes posts em seu blog (aqui e aqui) sobre o universo dessa artista meio performática, meio cantora. Admiro a coragem de Zeca Camargo, que possui uma bagagem cultural e intelectual enorme e jamais se acanhou de falar das formas mais popularescas de arte, inclusive prestando seu apoio a Sthefany (aquela mesma do Croosfox)

Eu sei que nem tudo que o ‘povo’ produz é culturalmente aproveitável, mas é necessário termos sempre o entendimento de que a cultura não está presa nas galerias, nos museus ou nos teatros; a cultura está na rua, está na boca do povo, está naquela roda de pagode e no baile funk; a cultura é livre das amarras do intelectualismo e do academicismo burguês que permeia aquela parcela da sociedade brasileira que se julga mais esclarecida porque frequenta uma faculdade, livrarias ou os barzinhos da moda.

 

Post chato é isso ai pessoal! Se você leu até aqui, meu muito obrigado. Não conhece Lady Gaga como eu? Pois dá uma olhada então no clip do último single da garota, neste vídeo no Youtube, piração total como é de se esperar

.

Mas para que serve o Twitter afinal de contas?


twitter_do_teilorEste não é mais um daqueles posts falando de como o Twitter veio para revolucionar as redes sociais, explicando o que é um microblogging e apontando links para os mais fodásticos usadores de scripts da twitosfera.

Muitas pessoas já me perguntaram para que serve o Twitter; a melhor resposta que eu posso dar é que o Twitter serve para o uso que você der a ele. Acho que o mais legal do Twitter é que não é o serviço que define qual será a utilidade dele, mas sim o usuário.

"-Como assim? Mas o negocio não era dizer o que se está fazendo agora? Para que eu quero saber o que um bando de desocupados estão fazendo?"

 

Para explicar o Twitter, ao invés de definir o serviço, eu vou exemplificar como usa-lo.

O Twitter serve para... (subtítulo para vocês estenderem que a explicação começa aqui)

Ser libertado de uma prisão egípcia:

Essa é velha e alguns podem não se lembrar, mas no ano passado(2008), James Karl Buck fotografava uma manifestação no Cairo quando foi detido pela polícia. Através do seu celular, James enviou uma única palavra para o Twitter: Arrested (preso). Quando os seu amigos nos EUA e seus contatos no Egito leram a mensagem, agiram o mais rápido o possível e James foi libertado no dia seguinte com a ajuda de um advogado contratado pela direção do campus de Berkley da Universidade da Califórnia e o auxílio da embaixada americana no Cairo. Se não fosse a mensagem no Twitter, James poderia ter desaparecido no intrincado sistema judiciário egípcio.

Salvar a vida de uma pessoa

Quando umas das seguidoras de Demi Moore no Twitter escreveu um twitt dizendo “Me pergunto se alguém liga com o fato de que vou me matar”, teve rapidamente uma resposta da atriz que disse: “espero que você esteja brincando”. A mensagem de Demi foi recebida pelas centenas de milhares de usuários que a seguiam e trataram de identificar a suicida e acionar a policia. Graças a centenas de ligações, os policiais conseguiram levar a possível suicida em custódia para uma avaliação psicológica e um possível tratamento.

Aterrorizar os Estados Unidos

Relatórios dos serviços de inteligência dos Estados Unidos apontaram o Twitter como uma potencial ferramenta terrorista. Segundo os relatórios, o potencial de comunicação do Twitter poderia ajudar terroristas a planejarem atentados e se comunicarem com pouca possibilidade de serem rastreados.

Exigir seus direitos de consumidor

O Twitter teve um papel fundamental quando o serviço de internet Speedy, da Telefônica, resolveu deixar de funcionar. No inicio a empresa tentou colocar panos quentes no assunto, mas a mobilização dos usuários do Twitter, relatando problemas com o serviço, deixou óbvio que o problema era generalizado.

Ganhar dinheiro

Como não poderia deixar de ser, os mais seguidos do Twitter começaram a receber propostas para usar seus perfis como veículo de publicidade de empresas. Marcelo Tas passou por uma verdadeira saia justa quando anunciou que faria publicidade para a Telefônica através do seu Twitter e ainda teve que aguentar seus seguidores reclamando das falhas no serviço.

Acabar com uma relação

Jennifer Aniston cansou de ser ignorada pelo seu namorado, John Mayer. Apesar do moço não atender a ligações da atriz, usando como desculpa estar muito ocupado, seu perfil no Twitter era atualizado compulsivamente. Este deve ser o primeiro caso público de separação por ciúmes do Twitter.

Dar um ‘olé’ em jornalistas e ajudar pessoas em um momento de caos

Os jornalistas até tentaram cobrir ao vivo os atentados terroristas em Mumbai, mas as informações mais recentes, se espalharam pelo mundo através do Twitter. O Twitter não serviu apenas para registrar em tempo real os ataques, como também foi de grande ajuda para coordenar grupos de apoio, que trataram logo de informar os hospitais onde se poderia conseguir ajuda e incentivaram a doação de sangue entre os usuários. Através do serviço, parentes de moradores de Mumbai, puderam receber noticias de seu familiares.

 

Esta lista com certeza poderia continuar por muitos mais parágrafos, por que os usos do Twitter parecem ser quase que infinitos, desde divulgar seu blog, passando por pedir ajuda quando se está preso em uma montanha e até transmitir uma cirurgia ao vivo.

E se você teve saco paciência de ler este texto até aqui, exercite mais um pouco sua paciência me seguindo no Twitter em @Teilor.

24 de abr de 2010

Não filosofe na rua

João era um cara comum, tinha um emprego comum, uma família comum, uma rotina comum; pode se dizer que a vida de João era do tipo mais comum que se pode imaginar.

Um dia João acordou logo cedo com o barulho estridente do seu despertador, se levantou, foi ao banheiro, escovou os dentes, tomou café, deu um beijo nos filhos que ainda estavam dormindo, deu um beijo e um tchau para a mulher que também sairia para trabalhar mais tarde e foi para a parada de ônibus esperar o veiculo que o levava todo dia para seu emprego comum.

Enquanto esperava o ônibus, João olhou para o céu, onde lá longe nuvens muito brancas se dispersavam pelo céu do amanhecer. De repente João se deu conta de como o Universo era gigante e de como não passamos de pequenas partículas vivendo em uma grão de poeira cósmica em algum canto do Universo.

De repente João se deu conta de como ele era pequeno diante do universo e de como o conhecimento que ele tinha ou que qualquer outra pessoa tivesse era pequeno perante todo o conhecimento que se poderia ter.

De repente João percebeu como as pessoas são cegas, pois vivem como se suas vidas representassem o total da existência quando na verdade suas vidas são muito pouco.

De repente também se deu conta de como as pessoas não são elas mesmas, pois são apenas um reflexo do meio ao qual estão condicionadas, ele próprio havia acreditado a vida toda que era o único responsável pelas escolhas que tomava, mas de repente isso não fazia mais sentido; todas as suas escolhas haviam sido determinadas pelo meio e pelas relações estabelecidas com este. Não havia livre arbítrio, apenas escolhas limitadas pelo que ele era e pelo ambiente que o cercava.

De repente João se deu conta que ele era apenas a coisa que foi criada para ser.

Então João se deu conta que não havia Deus ou algo assim, e se todos os povos, em todos os lugares do planeta criaram mitos para explicar sua existência, isso não passava de uma característica evolutiva comum da raça humana. Com a sapiência viria o percepção de finitude da vida, e um animal racional que soubesse que iria morrer não poderia existir sob a Terra, pois acabaria desistindo de perpetuar a sua espécie. A mesma natureza (ou erro evolutivo) que nos tornou conscientes de nossa mortalidade nos permitiu enganarmos a nós mesmos e fingir que somos imortais, se não nesse mundo em outro, pois só assim nossas mentes estariam livres o suficiente do medo da morte para garantir a continuidade da espécie.

Será que já houve algum animal que se tornou sapiente mas que não tinha um deus para se enganar e acabou desaparecendo?

De repente João se deu conta de como ele era limitado para entender o mundo que o cercava, pois ele tinha acesso somente as informações que eram fornecidas pelos seus sentidos. Como seria uma pessoa que conseguisse 'enxergar' todo o espectro da luz, que pudesse 'ouvir' todas as frequências sonoras, que pudesse sentir cada átomo, cada onda, e cada partícula que tocasse seu corpo?

De repente João começou a olhar as pessoas ao seu redor e se perguntar como elas conseguiam  simplesmente estar ali, sem se dar conta de todo um universo que poderia ser descoberto e discutido. João queria correr para o meio da rua e gritar com toda a força de seus pulmões, para que todas as pessoas acordassem do sono em que estavam vivendo, talvez desde sempre.

E efetivamente João correu para o meio da rua, e no momento que iria dividir a sua epifania com todos que estivessem ao seu redor um veículo o atropelou. Era o ônibus que o levaria para o trabalho.

João ficou alguns dias internado no hospital e perdeu a memória do que aconteceu logo antes do acidente, o médico disse que isso era normal. João não lembra nem de ter andado até a parada de ônibus naquela manhã e não faz idéia de como foi parar no meio da rua.

Mas João tem a impressão de que ele tinha alguma coisa importante para lembrar.

22 de abr de 2010

A arte que ninguém entende

Me chamou a atenção um caso inusitado relatado no blog do Luciano Trigo no G1

Uma performance do artista plástico Pedro Costa, realizada no 13º Salão de Artes Visuais de Natal na sexta-feira passada, está causando polêmica. Membro do grupo “Solange Tô Aberta!”, Costa tirou a roupa em frente ao público e, de quatro, tirou um terço… do ânus. A performance foi filmada e está em exibição, na galeria Newton Navarro, da Funcarte. O terço também está sendo exposto. O Salão, promovido pela Prefeitura de Natal, está aberto à visitação até 30 de abril. O artista explicou que sua obra representa a “a descolonização do corpo através da excretação [sic] do terço, um dos símbolos do domínio colonialista”. (continue lendo no blog do Luciano)

Depois de ler este trecho do post tive certeza de algo que eu já desconfiava a algum tempo: os artistas e os especialistas em arte estão nos enganando.

Alguém mostra um monte de rabiscos num papel, atribui uma temática aos rabiscos, indica de onde veio a inspiração e chama aquilo de arte.

Se você disser que não entendeu nada e que, se te perguntassem, não saberia dizer se aqueles rabiscos foram feitos por um artista ou por uma criança no jardim de infância irão te chamar de ignorante e dizer que você não entende nada de arte.

Minha visão de arte não admite o simples ato de tirar um terço do ânus como uma manifestação artística. Mas como eu não sou um especialista é melhor restringir minha opinião a este humilde blog - que eu garanto a vocês: não tem nada de artístico.

14 de abr de 2010

IceBreaker Design: por um Blogger mais bonito e profissional


Post rápido para falar de um assunto que muito interessa a quem bloga no Blogger :)

O Sérgio Estrela, do meta-blog Icebreaker lançou essa semana o projeto IceBreaker Design, onde você pode comprar templates e contratar serviços especializados para a plataforma Blogger.

Pra quem não conhece, o Sérgio é um verdadeiro artista quando o assunto é layout de blogs e é o autor de alguns dos mais lindos templates para o Blogger que eu já vi.

Para conhecer o trabalho e serviços oferecidos pelo IceBreaker Design clique na imagem abaixo ou no link no inicio deste post.

Esta aí um verdadeiro tapa da na cara de quem diz que não é possível ter um blog profissional no Blogger.

3 de abr de 2010

Religião, fé e ignorância.


Em um caso recente, jogadores do clube de futebol Santos, se recusaram a entrar em uma instituição que ajuda pessoas com paralisia cerebral chamada Lar Espírita Mensageiros da Luz; estes jogadores foram até a instituição mas decidiram ficar no ônibus do clube e não participar de uma ação beneficente onde o clube fez uma doação simbólica de 600 ovos de Páscoa que seriam vendidos na loja do clube para ajudar a instituição. Especula-se que a causa da recusa dos jogadores em participar da ação sejam motivos religiosos, já que se tratava de um lar espirita e os jogadores eram evangélicos. Também ouvi dizer que o boicote a visita foi uma forma de protesto por causa de atrasos no pagamento de direitos de imagem aos jogadores.

Se o motivo foi atraso de pagamento, só posso dizer que esses jogadores foram muito mesquinhos, se negando a participar se uma ação que beneficiaria pessoas que precisam de ajuda; também foi desdenhoso e infantil ir até o local e se recusar a entrar na instituição.

Se o motivo foi religioso, só posso sentir pena desses jogadores, pois só alguém muito ignorante é capaz de colocar preceitos religiosos acima das noções básicas de solidariedade e generosidade que qualquer pessoa deveria ter e demonstrar.

Não critico a fé (ou falta de fé) de ninguém, mas acho importante discernir entre o que é certo ou errado, independente de qual religião se segue. Colocar o dogma acima do bom senso é estupidez.

Também me parecem estupidas aquelas pessoas que se fecham para o conhecimento e para o que existe de diferente no mundo, porque ouviram um padre ou pastor mal orientado e mais interessado nos benefícios deste mundo do que na salvação espiritual do seu rebanho, falar que todas as verdades estão unicamente na bíblia e nos sermões que ele passa e qualquer coisa além ou diferente disso é coisa do diabo e deve ser evitada e extirpada.


Quem nunca se irritou e teve vontade de calar a boca de uma salsinha de cristo que atire o primeiro salmo.

16 de fev de 2010

Nunca antes na história desse país … bla bla bla


Lula se elegeu presidente do Brasil antes que eu me importasse com o assunto ‘politica’; não que eu me importe muito hoje, mas quando o nosso atual presidente chegou ao poder eu nem direito de voto tinha, também não conhecia o percurso politico do Lula e nem mesmo entendia o significado da vitória dele.

“A vitória do povo” alguns diziam com um sorriso no rosto, o que pode soar meio estranho em uma regime democrático, onde independente do candidato eleito sempre será a vitória do povo – pelo menos da maioria do povo.

Também não lembro de como foi o governo do Fernando Henrique Cardoso, sendo que na minha memória ficou marcada apenas o discurso de que ele havia criado o Plano Real, derrubado a inflação, quebrado patentes para que se pudessem produzir os genéricos e só. Mas foi uma carta do Fernando Henrique Cardoso, primeiro presidente reeleito no Brasil, que me fez escrever este post. Você podem lê-la no blog do Augusto Nunes, jornalista da Veja.

Leitura indispensável: um grande artigo de Fernando Henrique

Antes de discorrer sobre o tema da carta, gostaria de dizer que tenho um profundo asco pela Veja e pelos seus jornalistas. Tenho nojo da linha editorial da revista, que entre todos os veículos de mídia que eu conheço, é sem dúvida o mais tendencioso que existe; um verdadeiro ninho de cobras dispostos a picar e envenenar qualquer um que ouse discordar de suas verdades incontestáveis. Dúvida? Aqui um pequeno exemplo entre muitos.

Mas agora falando exclusivamente da carta do FHC, só posso dizer que ele está completamente certo em seu texto – se não a leu até aqui, siga o link lá acima e leia.
Nosso presidente, a cada dia mais envia os pés pelas mãos enquanto parece sofrer com uma crise de final de mandato. Em teoria, eu nem mesmo poderia estar direcionando ao Lula quaisquer palavras que não fossem elogios, já que sou um dos inúmeros comtemplados pelos programas assistencialistas do Governo. Como bolsista do Prouni, terei garantida toda minha graduação e sem ter de pagar um centavo a faculdade particular que freqüento. Nem sei onde estaria se não tivesse conseguido a bolsa (e não faço nenhum esforço para imaginar), mas se não estivesse na faculdade, com certeza estaria perdendo todo um mundo de possibilidades e experiência que tenho hoje.

Mas os benefícios a mim concedidos não me tornaram cego as atitudes do governo que os criou e de certa forma, os concedeu. Muito pelo contrário; freqüentar uma boa instituição de ensino superior me tornou mais perspicaz aos assuntos sociais, mais interessado pelos rumos do meu país e com mais discernimento para julgar as ações de nossos administradores.

Como pode o partido do Lula ser acusado de inúmeras maracutaias e nosso presidente se safar apenas dizendo que não sabia de nada? 

— Senhor presidente, quero que um Aerolula caia na minha cabeça agora se o senhor não sabia do mensalão e esquemas similares que aconteciam em seu governo!Se realmente não sabia, imagino que pelo menos desconfiava, e se havia desconfiança, deveria ter incentivado uma investigação.

Não questiono as capacidades do Lula como presidente, mas como personalidade publica ele é um verdadeiro desastre. Não que a maioria do povo brasileiro se importe, afinal de contas, enquanto o nosso presidente varre a sujeira para baixo do tapete todos aplaudem como se igualmente não vissem nada.Já se diz até que o Lula ganha de qualquer jeito, elegendo ou não a Dilma. De minha parte, vou aguardar as eleições e esperar que o próximo governo não mostre apenas transparência na hora de tirar os seus 'cadáveres do armário', mas também mostre que a politica brasileira ainda pode ser levada a sério.


6 de fev de 2010

Lady Gaga, Mozart, ETs e MPB


Olha que interessante este comentário que recebi no post ‘Lady Gaga é cultura, sim senhor!

comentário
Que interessante essa visão determinística, onde seria um absurdo comparar Lady Gaga com Mozart. Verdades universais são muito validas em sociedades humanas, mas só para aqueles que não conseguem enxergar que elas não são tão verdadeiras.
 
Mozart é incontestável! Roberto Carlos é o rei da música brasileira e não reclame do especial de fim de ano dele na Globo! MPB é o supra-sumo da produção musical no Brasil!

Eu acho Mozart legal, mas não sou o maior fã de música clássica. Roberto Carlos foi um fenômeno pop no Brasil mas pessoalmente, ficaria mais feliz se ele se aposentasse com a fortuna que já juntou, porque eu sinceramente não aguento mais escutar sobre ‘quantas emoções ele viveu’. E quanto a MPB? Música de elevador e não mais do isso.

Se aliens de uma raça notavelmente avançada quisessem nos visitar, eu apenas os aconselharia a adiar a visita alguns milênios, pois deste modo, se não tivéssemos nos destruído ainda, talvez já seríamos uma raça um pouco menos primitiva.
etsss[1]

2 de fev de 2010

Os 'blogueiros relevantes' e o CyberBullying


Que a Twittess está no BBB quase todo mundo já sabe, que ela usa script todo mundo também sabe - todo mundo também sabe que a Rosana já usou script, mas ninguém costuma tocar muito nesse assunto.

Que o hype do momento no Twitter e em alguns blogs é atacar a Twittess todo mundo também sabe. O que talvez alguns não saibam, eu incluso entre estes, é porque os ataques a moça tem sido tão ferozes.

A Rosana transformou a conta dela no Twitter num canhão de ataques a Twittess, de cada dez tweets mais ou menos, um é um ataque ou uma espetada na moça. O Cardoso, que adora torcer palavras e fatos para validar a opinião dele - já até chamei ele de Michael Moore, só não lembro porque -, a cada dia dedica mais tempo a secar a fama da guria; já o Felipe Neto está até pedindo desculpas porque ele acha que o sucesso da Twittes é culpa de alguma espécie de liga de blogueiros da resistência da qual ele faz parte - devidamente trollado por mim nos comentários.

Eu não sigo nenhuma dessas pessoas, e com exceção do Contraditorium, não leio quase nada que elas publicam, mas os ataques constantes contra a Twittess proferidos por eles sempre chegam a mim, principalmente através de RTs no Twitter. Eles não são os únicos, claro, mas tem servido de musas inspiradoras para outros atacantes, então não vejo motivos para não citar os nomes deles.

Talvez eu nem devesse estar falando desse assunto, já que eu não acompanho o BBB e talvez a Twittess seja um monstro que merece todo o nosso desprezo, mas independente de como for, o que estão fazendo com ela já ultrapassou os limites da brincadeira e se transformou em CyberBullying.

CyberBullying basicamente é uma prática que envolve o uso de tecnologias de informação e comunicação para dar apoio a comportamentos deliberados, repetidos e hostis praticados por um indivíduo ou grupo com a intenção de prejudicar outrem [fonte:wikipedia].

O CyberBullying é uma coisa tão seria quanto o próprio Bulling, pois da mesma forma que este, pode prejudicar e desestabilizar uma pessoa emocional ou mentalmente. O CyberBullying é uma forma de ataque desprezível, muito comum entre os stalkers e é justamente isso que esses blogueiros estão fazendo.

cyber-bully Não vou perder o meu tempo defendendo a Twittess, ela para mim é quase que completamente irrelevante, da mesma forma que a Rosana, o Cardoso e o Felipe Neto são irrelevantes para 99,99% das pessoas que conheço (mas eu conheço bastante gente, é claro).

Eu quero mesmo é atacar a baixeza como alguns tem se comportado, se deixando influenciar pelos 'blogueiros relevantes' citados acima. Tratar os outros como gostaríamos de ser tratados fica lindo como frase para colocar na Bio do Twitter ou para ser retweetada, mas levar o ditado realmente a sério já é outra história.

Não acho errado ‘falar mal‘ ou criticar aqueles que se colocam em evidência por vontade própria, mas ofender, atacar e denegrir alguém gratuitamente já é outra história.

Enquanto escrevo este post, sou informado que a Twittess está para sair da casa hoje (02/02). Provavelmente aqui fora tem muito trabalho e dinheiro esperando por ela. E para os adoradores dos ‘blogueiros relevantes’  e similares aqui citados, fica o recado: o Boninho e a Globo devem pagar um valor bem mais alto por um boquete do que seus ídolos da blogosfera.

24 de jan de 2010

Não me obrigue a ler Machado de Assis!


Eu lembro que quando estava na oitava série do Ensino Fundamental tínhamos uma prova de literatura por bimestre. Cada aluno deveria ler um livro que se enquadrasse como Literatura Clássica Brasileira e fazer a prova sobre aquele livro. Minha professora de português, além de inteligente e culta, era muito rígida com o conteúdo e já tinha lido e relido todos os livros dos autores clássicos brasileiros; ou seja, não havia jeito de engana-la, quem não lesse o livro ou só lesse um resumo, com certeza seria reprovado, pois as perguntas eram bem especificas e tratavam do enredo, da construção dos personagens e da ambientação da história.

Sempre fui amigo dos livros, então eu lia uns três por bimestre e escolhia um deles para fazer a prova; mas alguns dos meus colegas sofriam para ler um único livro. Dias antes da prova, alguns alunos começavam a bolar planos mirabolantes para conseguir ler tudo que não leram durante o bimestre ou saiam a caça de versões cinematográficas dos livros que deveriam ter lido (o que quase nunca dava certo).

Foi nessa época que eu li pela primeira vez um livro de Machado de Assis (ou me iniciei em Machado de Assis, como um famoso roteirista de novelas costuma dizer). Não tenho certeza sobre o que achei na época, mas lembro que não fiquei muito empolgado com a história. Depois de mais crescido resolvi ler de novo Dom Casmurro, imaginando que poderia captar os nuances da história que ficaram ocultos a minha mente infantil no passado e poderia então entender melhor a história de Bentinho e Capitu. Não sei se compreendi melhor a história nessa segunda leitura mas fiquei com a certeza de que Dom Casmurro era o livro mais chato e aborrecedor que eu já tinha lido.

Caricatura de Machado de Assis Me perdoem os fãs de Machado de Assis, quem tem entre seus maiores defensores algumas pessoas que nunca realmente leram um livro dele, mas Machado de Assis é muito CHATO. É claro que quando criança eu não me interessei pela história; como poderia se todo o enredo não tratava de outra coisa senão pequenas intrigas da burguesia carioca do século XIX (será que daqui a cem anos Bruna Surfistinha vai ser considerada Autora Clássica?).

Posso entender que Machado de Assis seja celebrado por criar novos formatos literários, mas a quem interessa o formato se a história é uma porcaria que no máximo despertaria o interesse de outros burgueses ou menos burgueses – qualquer semelhança com aquela novela onde ninguém trabalha e cujo cenário se resume ao Rio de Janeiro não é mera coincidência.

Mas não se engane achando que estou escrevendo este post apenas para atacar um autor que não me agrada. O que pretendo é deixar claro meu repudio por um currículo escolar que afasta estudantes do mundo dos livros lhes oferecendo Machado de Assis. Poucos tem a sorte que eu tive de conhecer outros autores clássicos que valem um pouco mais a pena, como José de Alencar e seus romances indianistas, que embora alguns ainda considerem enfadonhos, são com certeza muito mais excitantes que as câmaras, palacetes e gabinetes de Machado de Assis.

Sabiam que o a disciplina de literatura de algumas escolas britânicas tem Senhor dos Anéis em seus currículos? Interessante, não é mesmo? Mas mais interessante seria tentar convencer os educadores brasileiros á incluir em nossos currículos algum livro que não fosse repugnante ao gosto juvenil e adolescente. Está na hora de entender que privilegiar a cultura nacional nem sempre é a melhor escolha quando se trata de educação.

Acho importante que conheçamos nossos autores, mas envia-los garganta abaixo só vai afastar os mais jovens do mundo literário e eles provavelmente nunca mais perceberão a leitura como um prazer, mas sempre como uma obrigação.

Ensinar literatura é perda de tempo quando não se consegue ensinar o gosto pela literatura. E se oferecer Senhor dos Anéis, Harry Potter, talvez alguns dos excelente autores brasileiros que temos, ou até mesmo Crepúsculo – arghh! – vai fazer com que as crianças e adolescentes aprendam a gostar de ler, então deixemos o senhor Machado empoeirar nas estantes e no falatório dos literatos e optemos pela melhor escolha.

7 de jan de 2010

Ajude no Fórum Oficial do Blogger

O Blogger é sem dúvida a plataforma de blogs mais usada pelos brasileiros, por isso mesmo, não são  poucos os meta-blogs, fóruns e grupos de discussão que dedicam um espaço para ensinar a usar essa ferramenta.

O que muitas pessoas não sabem, é que existe um Fórum Oficial do Blogger oferecido pelo Google. Na verdade, existem fóruns oficiais para todos os produtos Google.

O Fórum Oficial do Blogger faz parte da seção de ajuda do mesmo, onde também é possível encontrar vários artigos explicando o funcionamento do sistema. Mas agora pretendo falar especificamente do Fórum.

bloggerAo contrário de grande parte dos espaços de discussão sobre o Blogger, a maioria dos usuários do Fórum do Blogger são pouco familiarizados com a plataforma; algumas das perguntas na verdade são bem óbvias para quem tem um pouco mais de experiência com o assunto e é justamente por isso que estes usuários precisam de mais ajuda.

Muitas das perguntas feitas no fórum poderiam ser respondidas com uma simples pesquisa no Google, mas é importante notar que algumas vezes os iniciantes nem sequer sabem pelo que pesquisar quando precisam resolver um problema com seus blogs.

Se você tem um pouco mais de conhecimento sobre o Blogger, com  certeza sua ajuda será muito bem vinda no Fórum. A cada dia o volume de perguntas postadas aumenta e a quantidade de contribuidores assíduos ainda é pequena.

Um ponto interessante em relação aos fóruns de ajuda do Google é que a empresa não deixa os espaços apenas na mão dos usuários, esperando que eles mesmos resolvam seus problemas. O Fórum do Blogger conta com a participação constante de funcionários do Google destinados a ajudar os usuários, muitas vezes inclusive, intercedendo em questões que o usuário não tem possibilidade de resolver por si.

Não existe nenhum tipo de remuneração pela sua participação, apenas a satisfação de ajudar outras pessoas com o seu conhecimento. 

Deixo aqui o convite para quem estiver disposto a ajudar.

E só mais um lembrete: algumas perguntas do fórum são de iniciantes mesmo e outras são de usuários querendo soluções prontas, que não os obrigue a pensar muito, então se você quiser ajudar no fórum, saiba que vai ser necessário ter um pouco de paciência para lidar com as salsinhas.

Se você tiver alguma pergunta em relação ao fórum, sinta-se a vontade para me perguntar nos comentários ou mande um e-mail para withoutbrainblog@gmail.com. Você também pode querer conhecer alguns contribuidores assíduos do fórum, como o Amílcar, o Alan, a Karen e a Juliana Sardinha.

3 de jan de 2010

Read it Later: excelente para administrar favoritos


Read It Later O Read it Later não é exatamente um gerenciador de favoritos, já que a função para a qual ele foi concebido é a de apenas marcar páginas para serem lidas posteriormente (como o próprio nome já diz); mas ainda assim, para quem não precisa de um gerenciador de favoritos cheio de recursos e frescuras, ele é perfeito.

O Read it Later possui uma extensão que pode ser instalada no Firefox, ou pode ser adicionado como bookmark a barra de links de qualquer navegador. Mas o que mais me agrada no Read it Later, é a possibilidade de sincronizar as paginas marcadas entre vários computadores; para ter acesso a esse recurso, você vai precisar criar uma conta no serviço, mas com certeza vale a pena, já que além de sincronizar vários computadores, o serviço te permite acessar online a usa lista de favoritos em qualquer lugar.

O Read it Later ainda conta com pesquisa entre as URLs armazenadas e vários outros recursos. Clique na imagem acima para visitar a homepage.