22 de abr de 2010

A arte que ninguém entende

Me chamou a atenção um caso inusitado relatado no blog do Luciano Trigo no G1

Uma performance do artista plástico Pedro Costa, realizada no 13º Salão de Artes Visuais de Natal na sexta-feira passada, está causando polêmica. Membro do grupo “Solange Tô Aberta!”, Costa tirou a roupa em frente ao público e, de quatro, tirou um terço… do ânus. A performance foi filmada e está em exibição, na galeria Newton Navarro, da Funcarte. O terço também está sendo exposto. O Salão, promovido pela Prefeitura de Natal, está aberto à visitação até 30 de abril. O artista explicou que sua obra representa a “a descolonização do corpo através da excretação [sic] do terço, um dos símbolos do domínio colonialista”. (continue lendo no blog do Luciano)

Depois de ler este trecho do post tive certeza de algo que eu já desconfiava a algum tempo: os artistas e os especialistas em arte estão nos enganando.

Alguém mostra um monte de rabiscos num papel, atribui uma temática aos rabiscos, indica de onde veio a inspiração e chama aquilo de arte.

Se você disser que não entendeu nada e que, se te perguntassem, não saberia dizer se aqueles rabiscos foram feitos por um artista ou por uma criança no jardim de infância irão te chamar de ignorante e dizer que você não entende nada de arte.

Minha visão de arte não admite o simples ato de tirar um terço do ânus como uma manifestação artística. Mas como eu não sou um especialista é melhor restringir minha opinião a este humilde blog - que eu garanto a vocês: não tem nada de artístico.

5 comentários:

  1. Como eu já comentei nos primórdios do meu blog(acho que o link é este: http://blog.guedesav.blog.br/post/arte-e-arte-e-arte-e-fim-de-papo ), a idéia do que é arte e o que não é varia muito, mesmo definições acadêmicas e principalmente definições pessoais. Logo, é muito mais fácil dizer se algo é arte do que o contrário(e estar absolutamente certo).

    Arte, por minha concepção, tem uma mensagem e algum efeito sobre o observador, mesmo que seja simplesmente a representação de uma cena ou objeto, real ou imaginário(pois a forma é uma impressão). Mas arte, com certeza, não está atrelada à estética, ou o que Picasso faz não seria arte. Piet Mondrian, igualmente, estaria na corda bamba.

    Mas, enfim, você está no seu direito de emitir sua opinião.

    No mais, você provavelmente vai receber a visita de uns cristãos furiosos. Vai botando a armadura, que as pedradas vão ser fortes. E boa sorte! =P

    ResponderExcluir
  2. Um rabisco de uma criança é arte, porque não?!

    arte dispensa explicação, eis o problema de desinformados.

    ResponderExcluir
  3. Bruno, concordo que é mais fácil dizer que alguma coisa é arte do que dizer que não é e acho que é isso justamente que me irrita de vez em quando.

    André não tenho certeza que a arte dispense explicações, afinal de contas, se não me dissessem pelo menos que algumas obras são arte, eu jamais desconfiaria.

    ResponderExcluir
  4. O conceito de arte é mesmo complexo e, em muitos casos, duvidoso. Eu não gosto da opinião de especialistas. Penso que são somente academicistas, tentando garantir um espaço para serem ouvidos e respeitados, mesmo quando não merecem. Sobre a arte em si, sou aberto à toda manifestação artística. No entanto, nem toda manifestação artística é boa. E isso é normal em qualquer campo da atividade humana.

    Não relaciono arte somente (e nem sempre) à estética. Arte, a meu ver, precisa mesmo passar uma mensagem. Essa mensagem nem sempre é agradável. Eu gosto quando a arte é perturbadora. O trecho que você cita em sua postagem é perturbador, sob vários aspectos. Provavelmente, se eu estivesse presente a essa cena, teria dado boas gargalhadas.

    Agora, uma coisa é a arte que se vê espalhada pelo mundo, em suas inúmeras vertentes; e outra coisa é a arte que se 'leva pra casa' (por assim dizer).

    Por fim, chamo a atenção para o fato de que me preocupa mais a existência de uma arte produzida de modo 'industrializado' (parecida, maniqueísta, repetitiva e alienante); do que essa arte estranha que, em tese, é chamada de 'arte de vanguarda'.

    Valeu pela postagem. O tema que você aborda permite muita debate. Um abraço!

    ResponderExcluir
  5. Olá

    Concordo com o Bruno.
    Difícil conceituar arte, mas quando buscamos ter mais contato com ela, começamos a trabalhar nosso senso crítico. Esse contato facilita nossa compreenção, reflexão e sensibilização.
    O mundo das artes (principalmente as transformadoras) é algo inexplicável.
    A arte acontece, na minha opinião, quando transcende.
    Infelizmente a maioria das pessoas, não tem a oportunidade de ter esse tipo de experiência (por vários motivos) e por isso dizem não gostar de arte.

    Abraços

    ResponderExcluir