3 de abr de 2010

Religião, fé e ignorância.


Em um caso recente, jogadores do clube de futebol Santos, se recusaram a entrar em uma instituição que ajuda pessoas com paralisia cerebral chamada Lar Espírita Mensageiros da Luz; estes jogadores foram até a instituição mas decidiram ficar no ônibus do clube e não participar de uma ação beneficente onde o clube fez uma doação simbólica de 600 ovos de Páscoa que seriam vendidos na loja do clube para ajudar a instituição. Especula-se que a causa da recusa dos jogadores em participar da ação sejam motivos religiosos, já que se tratava de um lar espirita e os jogadores eram evangélicos. Também ouvi dizer que o boicote a visita foi uma forma de protesto por causa de atrasos no pagamento de direitos de imagem aos jogadores.

Se o motivo foi atraso de pagamento, só posso dizer que esses jogadores foram muito mesquinhos, se negando a participar se uma ação que beneficiaria pessoas que precisam de ajuda; também foi desdenhoso e infantil ir até o local e se recusar a entrar na instituição.

Se o motivo foi religioso, só posso sentir pena desses jogadores, pois só alguém muito ignorante é capaz de colocar preceitos religiosos acima das noções básicas de solidariedade e generosidade que qualquer pessoa deveria ter e demonstrar.

Não critico a fé (ou falta de fé) de ninguém, mas acho importante discernir entre o que é certo ou errado, independente de qual religião se segue. Colocar o dogma acima do bom senso é estupidez.

Também me parecem estupidas aquelas pessoas que se fecham para o conhecimento e para o que existe de diferente no mundo, porque ouviram um padre ou pastor mal orientado e mais interessado nos benefícios deste mundo do que na salvação espiritual do seu rebanho, falar que todas as verdades estão unicamente na bíblia e nos sermões que ele passa e qualquer coisa além ou diferente disso é coisa do diabo e deve ser evitada e extirpada.


Quem nunca se irritou e teve vontade de calar a boca de uma salsinha de cristo que atire o primeiro salmo.

11 comentários:

  1. Pois é, escrevi sobre isso no Antes da HORA. Cara, o motivo foi mesmo religioso, eu só sinto pena deles.

    ResponderExcluir
  2. É Tailor. Ignorância é uma merda. Por essas e outras, vez em sempre (rs), me acanho em dizer que sou "crente". Me entristece saber que o pessoal transformou o cristianismo em mediocridade. Coitados dos meninos da Vila e de todos nós, meninos na fé.
    Olha, mas essa não é a linha de pensamento de muitos amigos, manos meus. Se puder, leia o artigo do Pavarinohttp://pavablog.blogspot.com/2010/04/no-brasil-futebol-e-religiao.html

    Beijo da Mama ♥

    ResponderExcluir
  3. Melhor dar atenção mesmo a atitude da Agremiação, que é louvável e digna.

    Quanto as atitudes de uns e outros que não entraram na instituição, não concordo mas defendo até o fim o direito de serem bossais e medíocres no mínimo.

    Será que estes pernas de pau do jogo da vida, que são mais endinheirados, numa urgência se recusariam ir para o Hospital Israelita Albert Einstein ou Hospital Sírio-Libanês?

    Estranho para um destes "religiosos fervorosos", não haver dogma ou preceito religioso moral para frequentar boates e prostíbulos na Europa... "Tá" desamarrado!

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  4. olá Teilor

    estava refletindo ainda a pouco com o Evandro do Célula Nerd sobre essa questão de religião e atitudes humanas.

    pensei, se não me engano, não foi deus mesmo que disse como um dos mandamentos: amar ao próximo?, mas parece que certas religiões resolveram pregar por conta própria a condição "amar ao próximo desde que seja da minha religião", o que há na realidade? má interpretação da crença que eles mesmo cultuam ou falta mesmo de humanidade?

    eu realmente não consigo entender como pode ter uma religião que justifique esse isolamento social, se esse pessoal age assim depois não podem reclamar que a sociedade os enxergam com maus olhos já que eles mesmo fazem questão de demonstrar a sua "malvadeza" humana.

    não vamos aqui criticar nem julgar religiões, vamos refletir sobre pessoas e fatos. E analisando os mesmos acho que não temos nada do que nos orgulhar e nem mesmo nos convencer de que vale a pena seguir dogmas e credos e depois deixar de ser humano.

    é isso.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  5. Richard, eu li seu texto e também achei muito mal colocada a opinião do Rímoli, mesmo que o que ele tenha dito seja verdade, só acabou mostrando que os jogadores são muito egoístas e infantis, se recusando a ajudar pessoas necessitadas por birra com o clube.

    Vou ler o artigo Mama, aliás não conhecia esse blog.

    Disse tudo Arierom, também acho muito estranho essas religiões de conveniência, que se segue quando se quer e se deixa de seguir quando querem ir para farra.

    Obrigado pelo comentário Ana, acho que as vezes pé melhor realmente deixar a religião de lado e lembrarmos que somos todos humanos, independentes de nossas crenças.

    ResponderExcluir
  6. Os verdadeiros seguidores de Jesus entram e saem de qualquer lugar pois não têm medo do que quer que seja. Vejam o exemplo de Paulo, que pregou em um local de adoração de deus gregos e aproveitou o ensejo para falar de Deus. Ir lá e poder abraçar e dar carinho àquelas crianças independente de quem as está acolhendo é o que Jesus faria e os seus 'seguidores' deveriam dar este testemunho.

    ResponderExcluir
  7. Concordo totalmente com você Marcos

    ResponderExcluir
  8. Acredito que se realmente o motivo foi religioso, eles tem todo direito de expressar a sua religiosidade, afinal vivemos em uma democracia.

    Só acho que não deveriam ter ido já que não entrariam no local e assim evitariam tantos comentários dos que não aceitam ou entendem!

    Críticas a parte...o que acho lamentável é que foram a um local sem ter consciencia de para onde estavam indo!

    No mais teria sido muito mais produtivo, de fato, terem entrado e aproveitado a oportunidade para também fazerem a obra de Senhor.

    Quanto aos exemplos de alguns...uma nova oportunidade de renovar-se é dada por DEUS a cada manhã. Mas é necessário que nos preocupemos com o nosso testemunho para que sirva de boa referência da conduta de quem deseja agradar a DEUS.

    UM ABRAÇO A TODOS

    ResponderExcluir
  9. A promessa da religião era de ter um papel contrário ao ocorrido. Irônico, não?!

    ResponderExcluir
  10. Antes de tudo ter religião ou ser religiosos é ter cultura e absorver cultura. Ter religião ou acreditar em D'us é supérfluo se nossas atitudes perante a vida e perante nossos semelhantes não forem permeadas pelo amor ao próximo.

    Uma mitzvot das mais importantes é essa: "Não seguir os caprichos do coração ou o que os seus olhos vêem" - "שלא לתור אחר הרהור הלב וראית עינים"
    25 47 387 Núm. 15:39

    Esses rapazes confundem caridade ao próximo com religião e fé. Em verdade precisam adquirir mais informações e cultura no primeiro testamento do evangelho, ou seja; precisam estudar mais a Torá Judaica e aprender que a caridade (tzedakah) se faz de "olhos fechados" e a criança é o símbolo da inocência e deve ser sempre posta em primeiro lugar.

    ResponderExcluir
  11. Realmente é muito triste vermos tais atitudes ainda nos tempos de hoje. Há tanta informação disponível, tantos meios de informação e de esclarecimentos, mas ainda falta discernimento e bom senso. Esta é uma atitude que deveria servir de alerta por parte dos dirigentes do Santos e da própira mídia, que deveria se sentir obrigada a esclarecer aos jogadores o quanto foi ignorante esta atitude.

    ResponderExcluir